Liga Europa: Belenenses vence Altach e parte em vantagem para o jogo...

Liga Europa: Belenenses vence Altach e parte em vantagem para o jogo da 2ª Mão

47

O Belenenses venceu, esta 5ª Feira, os austríacos do Altach, por 1-0, em jogo a contar para a 1ª Mão do “play-off” de acesso à Fase de Grupos da Liga Europa, disputado no Estádio Novo Tivoli, em Innsbruck.

No entanto, as coisas não começaram nada bem para o conjunto orientado por Ricardo Sá Pinto, pois no aquecimento Carlos Martins sentiu uma forte dor na coxa e foi para o banco de suplentes.

Com apenas 17 jogadores disponíveis (Carlos Martins estava incluído na Ficha do Jogo e não pôde ser substituído por outro convocado), o técnico dos “azuis” colocou na frente de ataque os dois “Tiagos” (Tiago Silva e Tiago Caeiro).

E em boa hora o fez, pois o único tento da partida, apontado aos 13 minutos, saiu dos pés do Tiago Caeiro, que aproveitou da melhor maneira um excelente passe de Tiago Silva.

Até ao intervalo, o penúltimo classificado da Liga austríaca tentou reagir, mas o 8º classificado da Liga NOS controlou sempre a partida e chegou ao tempo de descanso a vencer pela diferença mínima.

Resultado justo, que só pecava por ser escasso, pois o Belenenses dominou a seu bel-prazer, teve imensas oportunidades para marcar, mas a pontaria esteve bastante desafinada.

Na segunda parte, o Altach aproveitou o terreno pesado (choveu bastante) e a “estampa” física dos seus jogadores para carregar mais, mas o talento superiorizou-se ao poder físico e o Belenenses voltou a dominar.

Com o domínio territorial completamente definido, faltava ao Belenenses mais um golo, para dar uma “machadada final” na eliminatória, que foi mais fácil do que à partida se podia prever, o que mostra bem as fraquezas do V. Guimarães (uma chamada de atenção para Armando Evangelista).

No entanto, o Belenenses não conseguiu o 2º golo, e poderia ter saído da Áustria com um resultado muito injusto, pois a formação orientada por Damie Canadi podia ter chegado ao empate entre o minuto 80 e 84, altura em que o guardião Hugo Ventura passou por alguns calafrios.

Com esta vantagem, os “azuis” do Restelo podem sonhar com a inédita presença na Fase de Grupos da Liga Europa, situação que nenhum dos adeptos sonhava há alguns anos, quando o clube passava por dificuldades financeiras e não se conseguia impor na II Liga.