Liga dos Campeões: Celtic vence eliminatória com Astana por 8-4 mas ainda...

Liga dos Campeões: Celtic vence eliminatória com Astana por 8-4 mas ainda apanha um valente susto

A 20 minutos do fim, os cazaques estavam a vencer por 4-1 e apenas a 3 golos de "virar" a eliminatória

37

Liga dos CampeõesO Celtic perdeu com os cazaques do Astana, por 4-3, em jogo a contar para a 2ª Mão do “play-off” de acesso à Fase de Grupos da Liga dos Campeões, disputado no Astana Arena, no Cazaquistão.

Depois da vitória por 5-0 no desafio da 1ª Mão, o Celtic partiu descansado para o longínquo Cazaquistão, mas os escoceses ainda iriam apanhar um valente susto, graças à excelente combatividade dos jogadores da equipa da casa.

Os primeiros minutos foram de autêntico equilíbrio, mas aos 26 minutos, o Astana consegue inaugurar o marcador, após um desvio infeliz de Kristoffer Vassabakk Ajer, que introduz a bola na sua baliza.

No entanto, pouco depois, o Celtic consegue empatar o desafio, com um tento de Scott Sinclair, que deixou os corações dos adeptos dos “católicos” muito mais descansados.

Ao intervalo, alguns adeptos do Astana deixaram o estádio, pois já se fazia tarde, e a formação cazaque precisava de marcar mais 6 golos para dar a volta aos acontecimentos.

Estes adeptos já não viram os 2 golos de rajada da equipa da casa, que aos 50 minutos já ganhavam por 3-1, depois da festa protagonizada por Serikzhan Muzhikov e Patrick Twumasi.

A 20 minutos do fim, o mesmo Twumasi marcou o 4-1 e a formação escocesa tremeu “por todos os lados”, pois o Astana mostrava que tinha capacidade para marcar os 3 golos que precisava para passar a eliminatória.

Com o Astana balanceado para o ataque, o Celtic precisava de apostar no contra-ataque para dar a “estocada” final, e foi isso mesmo que fez, acabando por marcar 2 golos, por intermédio de Olkiver Ntcham e Leigh Griffiths.

A eliminatória acabou por ser ganha pelo Celtic por uns confortáveis 8-4, mas se Sinclair não tivesse marcado o golo dos escoceses ainda na primeira parte, os cazaques ficavam apenas a 1 golo de empatar a eliminatória, algo em que poucos acreditavam.