LC: Valência vence Mónaco por 3-1 e dá passo de gigante rumo...

LC: Valência vence Mónaco por 3-1 e dá passo de gigante rumo à Fase de Grupos

20

O Valência venceu, esta 4ª Feira, os franceses do Mónaco, por 3-1, em jogo a contar para o “play-off” de acesso à Fase de Grupos da Liga dos Campeões, disputado no Estádio Mestalla, em Espanha.

Com Ruben Vezo no “onze” titular e João Cancelo no banco de suplentes, a formação espanhola marcou logo aos 4 minutos, por intermédio de Rodrigo (ex-Benfica), que aproveitou da melhor maneira um erro da defensiva do Mónaco, que demorou muito tempo a acertar com as marcações.

Até aos 30 minutos, a equipa espanhola dominou a seu bel-prazer e teve duas grandes oportunidades para aumentar a vantagem, mas Paco Alcácer e Mustafi erraram o alvo por centímetros.

À passagem da meia-hora, o Mónaco (com Ricardo Carvalho, Ivan Cavaleiro e Bernardo Silva no “onze” titular – João Moutinho está lesionado) teve a sua melhor oportunidade, mas o remate do médio ex-Benfica bateu com estrondo no poste da baliza, depois de um bom contra-ataque conduzido por Martial.

Ao intervalo, a vantagem da formação valenciana era justa, mas o Mónaco também tinha mostrado vários argumentos, o que significa que se o empate prevalecesse não escandalizaria ninguém.

No início da segunda metade, Martial pegou na bola na ala esquerda, passou por dois adversários e assistiu Pasalic, que aproveitou um corte incompleto de Rúben Vezo para marcar o golo do empate.

Pouco depois, Ivan Cavaleiro poderia ter colocado a sua equipa em vantagem, mas o remate “morreu” nas mãos do guarda-redes “che”, Mathew Ryan, que fez uma excelente exibição.

Como diz o velho ditado, “quem não marca, sofre”, e foi precisamente o que aconteceu ao Mónaco, que sofreu o 2º golo, aos 59 minutos, devido a um remate certeiro de Dani Parejo, depois de um cruzamento de Barragan.

Aos 86 minutos, o Mónaco tem mais uma desatenção defensiva e Feghouli aproveita para dar a “machadada final” no jogo e na eliminatória, dando um passo de gigante rumo à Fase de Grupos da Liga dos Campeões.

Até ao apito final do árbitro Mark Clattenburg, o Valência fechou todos os caminhos para a sua baliza e conseguiu uma preciosa vantagem, que lhe poderá dar cerca de 11 milhões de euros e mais uma presença na Fase principal da Champions.