Jogos Militares: De Roma a Wuhan passando pelo Rio de Janeiro

Jogos Militares: De Roma a Wuhan passando pelo Rio de Janeiro

41

Qualquer adepto de desporto sabe o que são os Jogos Olímpicos, a maior competição desportiva que ocorre de 4 em 4 anos numa cidade escolhida criteriosamente pelo Comité Olímpico Internacional (COI).

Com base nesta competição, vários organismos decidiram organizar eventos parecidos, como os Pan-Americanos, os Jogos Asiáticos, os Jogos Africanos, os Jogos Olímpicos da Europa, as Universíadas e outros eventos continentais e inter-continentais.

Hoje, o MultiDesportos apresenta aos seus leitores os Jogos Militares, que também se disputam de 4 em 4 anos desde 1995; o último evento até agora foi disputado em Outubro na cidade de Mungyeong (Coreia do Sul), mas os organizadores (Conselho Internacional do Desporto Militar) já estão a preparar o evento de 2019, que irá ocorrer em Wuhan, na China.

Como referimos, a 1ª Edição decorreu em 1995, na cidade italiana de Roma, e foi integrado nas festividades dos 50 anos do fim da II Guerra Mundial, que fez milhões de vítimas por todo o Mundo.

Participaram cerca de 4000 atletas de 93 países, que estiveram na Cerimónia de Abertura no Estádio Olímpico de Roma, juntamente com o Papa João Paulo II, o Presidente italiano na altura, Óscar Luigi Scalfaro, e o Primeiro-Ministro italiano da altura, Lamberto Dini.

Todo o Mundo ficou satisfeito com o sucesso obtido e marcou-se uma II Edição, que decorreu em Zagreb (Croácia), com a participação de 6734 atletas de 82 países; apesar do número de nações ter sido mais baixo, o número de atletas foi amplamente superior.

Em 2003, em Catania (Itália), o número de atletas ultrapassou os 7000, mas em 2007 na cidade indiana de Hyderabad, o número desceu drasticamente para cerca de 5000, pois os atletas/militares consideram o local de difícil acesso e com algumas más condições.

Quatro anos depois foi a vez do Brasil (mais concretamente o estado do Rio de Janeiro) receber o evento, que decorreu nas mesmas instalações criadas para os Pan-Americanos de 2007, ainda que tenha sido construído mais um campo, que actualmente serve de treino para o 31º Grupo de Artilharia de Deodoro.

Ao fim de 6 edições, a Rússia lidera o quadro de Medalhas Gerais, com 464 (190 de Ouro, 138 de Prata e 136 de Bronze), à frente da China com 359 medalhas (151 de Ouro, 115 de Prata e 93 de Bronze) e da Itália, com 290 medalhas (102 de Ouro, 84 de Prata e 104 de Bronze).

A fechar o top-10 está a Coreia do Sul, com 79 medalhas (25 de Ouro, 23 de Prata e 28 de Bronze), logo atrás da Coreia do Norte, que tem 83 medalhas (30 de Ouro, 25 de Prata e 28 de Bronze).

Cada evento é composto por 20 modalidades desportivas, com destaque para a Orientação, Paraquedismo, Pentatlo Militar, Pentatlo Naval e Pentatlo Aeronáutico, que só são disputados nos Jogos Militares.