Iberian Historic Endurance: Corrida relaxada no calor de Jerez de La Frontera

Iberian Historic Endurance: Corrida relaxada no calor de Jerez de La Frontera

Rezende e Pais do Amaral dominaram na primeira fase da prova. Duelos interessantes nos Turismo com destaque para Ford Cortina, Lotus, Mini e Volvo 121. Porsche da Gulf regressou com um andamento impressionante.

36

Iberian Historic Endurance 2017 - JerezO Circuito de Jerez encheu-se de história do desporto automóvel com as preciosidades que o Iberian Historic Endurance levou graças aos inscritos para esta jornada.

No primeiro dia de competição, o calor marcou a acção em pista que teve na dupla do Porsche, Lopez/Rodriguez, a grande vencedora da primeira corrida do evento.

As temperaturas elevadas que marcaram o dia no Sul de Espanha influenciaram, em grande medida, o primeiro dia de competição de mais uma ronda do Iberian Historic Endurance que, desta vez, se realizou no Circuito de Jerez.

O programa teve início com uma sessão de qualificação muito participada. Todas as equipas presentes experimentaram o novo asfalto da importante pista andaluz. Para os estreantes, foi a novidade total. Para os repetentes, foi a oportunidade de conhecerem as novas características provocadas pela intervenção realizada há meses.

A dupla Lopez/Rodriguez mostrou que tinha pretensões de se impor e obteve a pole-position. Pedro Rezende e Miguel Pais do Amaral ficaram em segundo, enquanto António Castro garantiu a terceira marca da sessão.

Enquanto no paddock o ambiente de desportivismo imperava, na pista, pilotos e máquinas não só tinham de procurar as melhores trajectórias como enfrentavam o calor que se registava. Após a partida, Rezende e Pais do Amaral assumiram o comando e dominaram a primeira fase da corrida.

Tudo indicava que podiam vencer, mas, entretanto, a equipa que saiu da pole voltou à carga e, neste confronto de Porsche, foi o pilotado pelos espanhóis que viu a bandeira de xadrez primeiro mostrando que tem, claramente, um andamento superior.

Com dois modelos do fabricante alemão na frente, Carlos Barbot também deixou a sua marca em Jerez. O piloto português voltou a mostrar que é muito rápido com o Lotus Elan que habitualmente utiliza. Desta vez, aproveitou as novas regras que proíbem os pneus Toyo, e foi terceiro numa hipotética classificação absoluta além de ter vencido a categoria H65 que controlou por completo.

A corrida ficou marcada pelas constantes trocas de posições protagonizadas por várias equipas. Destaque no confronto de formações que competiram com carros de Turismo, em particular, Luís Gama Rocha, com o Ford Cortina, Francisco Correa, com o Mini Cooper ou Jorge Guimarães, com o Volvo 121.

“O Circuito de Jerez costuma proporcionar um misto muito interessante de corridas emotivas e um bom ambiente nas boxes. O bom ambiente vivido no primeiro dia deste evento confirmou essa tendência e quem assistiu ao primeiro confronto da jornada pôde ver um espectáculo muito interessante mesmo se os pilotos estiveram relaxados e descontraídos”, afirmou Diogo Ferrão, da organização da competição.

Hoje realiza-se a segunda corrida do fim-de-semana a contar para o Iberian Historic Endurance. A partida está marcada para as 9h45 (hora de Portugal Continental).