Iberian Historic Endurance 2017: A resistência decide-se ao sprint em Vila Real

Iberian Historic Endurance 2017: A resistência decide-se ao sprint em Vila Real

Michiel Campagne vence com diferença inferior a um segundo. Três equipas passaram pela liderança da 1ª corrida do fim-de-semana. Alexandre Guimarães vence H76 após luta apertada com Domingos Coutinho

67

Iberian Historic Endurance 2017 - Vila RealO Iberian Historic Endurance teve uma muito competitiva prova em Vila Real. O excelente ambiente que se vive nas boxes entre adversários transforma-se em corridas entusiasmantes e espectaculares em pista. Depois de em Spa o vencedor ter ganho com uma vantagem de três segundos após três horas de competição, o primeiro confronto na pista no Norte de Portugal foi igualmente intenso e Michiel Campagne venceu com uma vantagem de apenas 0,9 segundos para Mário Silva.

O final de tarde nas ruas de Vila Real foi impróprio para cardíacos. O espírito de Le Mans voltou à cidade do Alto Douro para duas corridas. A primeira realizou-se hoje e apesar da sua hora de duração, além da resistência necessária para chegar ao fim, pilotos e máquinas tiveram de ser suficientemente aguerridos para discutir posições e ultrapassarem os adversários entre os rails da exigente pista citadina.

A partir da ‘pole-position’, Mário Silva manteve-se na frente da prova. Ao volante do Ford Escort RS 1600, o piloto assumiu as despesas iniciais da corrida. Mas João Paulo Sousa, fruto de uma primeiras voltas muito boas, aproximou-se do líder. Com o bonito BMW 635, colocou Silva à prova e conseguiu passar para o primeiro posto. Posição que ocupou até que Michiel Campagne mostrou que estava em Vila Real com ambição.

O holandês, vindo do nono lugar da grelha com o poderoso Chevrolet Corvette GS, superou a concorrência e só caiu na classificação quando houve a paragem nas boxes. Aí, Mário Silva, em recuperação, fez uma melhor paragem e voltou para o comando. O confronto entre o luso e o piloto dos Países Baixos, que era segundo, prolongou-se até à última volta. Foi um despique animado e que Campagne acabou por ganhar com uma vantagem inferior a um segundo.

O piloto do Corvette triunfou entre os HGTP65, enquanto Mário Silva ficou com a vitória nos H71. Jorge Cruz, em BMW 323i foi o terceiro a cruzar a meta, com Carlos Barbot, em Lotus Elan 26R, logo atrás. O confronto entre as equipas que competem no H76 também foi renhido. Com Silva/Fernandes em Ford Escort RS2000 a sair da frente, Alexandre Guimarães, que se apresentou em Vila Real com um Lotus Elan, conseguiu a liderança. Depois, foi Rui Ribeiro a comandar até dar uma ‘traseirada’ nos rails com o seu automóvel que o fez cair para terceiro. Alexandre Guimarães aproveitou a oportunidade e reassumiu a liderança. Sousa Coutinho e Pereira chegaram a sonhar com o primeiro lugar, mas conseguiram o segundo lugar apenas a 0,9 segundos do vencedor.

Para Diogo Ferrão, a jornada de Vila Real do Historic Endurance começou da melhor maneira.

“Apesar da grelha reduzida, uma corrida muito interessante a fechar o dia. Emoção até à última volta, com Mário Silva e Michiel Campagne a digladiarem-se pela vitória com pneus de estrada montados nos seus automóveis. Dois grandes pilotos que repetem o confronto de há cinco anos no Circuito da Boavista. Campagne mostra porque é o piloto mais premiado do Historic Endurance, apesar de não vencer há mais de um ano e meio no campeonato”, disse o responsável.