GP de Itália 2017: Resumo da corrida da Haas F1 Team em...

GP de Itália 2017: Resumo da corrida da Haas F1 Team em Monza

Quase que a Haas F1 Team terminava o Grande Prémio de Itália, que se disputou este Domingo em Monza, com um resultado nos pontos, uma vez que Kevin Magnussen cruzou a linha de meta no décimo primeiro lugar, a um de garantir um ponto.

42

VF-17 da Haas F1 TeamQuase que a Haas F1 Team terminava o Grande Prémio de Itália, que se disputou este Domingo no Autodromo Nazionale di Monza, com um resultado nos pontos, uma vez que Kevin Magnussen cruzou a linha de meta no décimo primeiro lugar, a um de garantir um ponto.

Magnussen estava a rodar no décimo lugar até à quadragésima-sétima volta quando Max Verstappen, no seu performante Red Bull, ultrapassou Magnussen por dentro na chicane. Isto forçou Magnussen a alargar a trajectória, deixando o décimo posto e o respectivo ponto para Verstappen.

O colega de equipa de Magnussen, Romain Grosjean, recuperou desde vigésimo até décimo-quinto. O acidente durante a sessão de qualificação, que foi disputada com muita chuva durante a tarde de Sábado, atirou Grosjean para o final da grelha de partida. Adoptou uma estratégia de duas paragens, parando na terceira volta e na trigésima-quarta, para ganhar lugares.

Grosjean trocou os pneus Pirelli P Zero Vermelho/Supermacio com que iniciou a corrida por macios, na terceira volta, e também montou uma nova asa dianteira, depois de ter danificado a sua num toque logo no início com Daniel Ricciardo. Quando Grosjean voltou a entrar nas boxes, montou um novo jogo de pneus supermacios, que o levou até ao final.

Magnussen iniciou a corrida de cinquenta e três voltas ao circuito de 5,793 quilómetros e onze curvas no nono lugar, mas caiu para décimo na primeira curva, ao ser ultrapassado por Sérgio Pérez. Mas com as inúmeras batalhas das primeiras voltas, Verstappen e Felipe Massa envolveram-se num contacto na terceira volta, ficando o piloto da Red Bull com um furo.

Verstappen foi obrigado a passar pelas boxes, o que permitiu a Magnussen recuperar o nono posto. Mas o colega de equipa de Verstappen, Daniel Ricciardo, era também rápido, e ganhou o nono posto de Magnussen na sétima volta.

Solidamente no décimo posto, Magnussen realizou a sua única paragem nas boxes na décima-primeira volta, trocando os seus pneus supermacios por macios novos. Saiu das boxes no décimo-sexto lugar, mas com o decorrer da corrida e a conclusão do ciclo de pit-stops, Magnussen na trigésima-terceira volta estava de novo no décimo lugar.

Foi forte e conseguiu aguentar o Renault de Nico Hulkenberg e depois o Toro Rosso de Daniil Kvyat. Entretanto, Verstappen vinha a recuperar consistentemente e apanhou Magnussen na pequena recta entre a curva 3 e 4. Assim que Verstappen passou por Magnussen, na chicane, Magnussen ficou com a certeza de que ficaria no décimo primeiro posto com uma distância substancial para Kvyat, o décimo-segundo.

O vencedor do Grande Prémio de Itália foi o ‘poleman’, Lewis Hamilton, o tricampeão mundial de Fórmula 1. O piloto da Mercedes marcou o seu quinquagésimo-nono triunfo na Fórmula 1, o seu sexto da temporada e o segundo consecutiva. Foi a sua quarta vitória no Grande Prémio de Itália, sendo batido apenas pelas cinco conquistadas por Michael Schumacher.

Hamilton deixou Valtteri Bottas, o segundo classificado, a 4,471s. Esta vitória permite a Hamilton assegurar o primeiro lugar no Campeonato de Pilotos. Chegou a Monza a sete pontos do líder, Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari, mas agora tem uma vantagem de três pontos sobre Vettel.

Com treze rounds do calendário deste ano cumpridos, a Haas F1 Team mantém-se no sétimo lugar do Campeonato de Construtores, com trinta e cinco pontos, com um de vantagem para a Renault, a oitava classificada, a cinco da Toro Rosso, a sexta, e a vinte da quinta, a Williams. Grosjean e Magnussen estão no décimo-terceiro e décimo-quarto lugares, respectivamente, do Campeonato de Pilotos. Grosjean tem vinte e quatro pontos e Magnussen onze.

Estão sete etapas por disputar no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, sendo o próximo evento o Grande Prémio de Singapura, que se disputa no Marina Bay Street Circuit entre os dias 15-17 de Setembro

Comentários

Romain Grosjean (#8)
“Ficámos com a asa dianteira danificada na primeira curva e, daí para a frente, a nossa corrida ficou comprometida. Tentámos algumas coisas e aprendemos mais umas coisas sobre o carro. Penso que o ritmo não foi mau”.

Kevin Magnussen (#20)
“Aconteceu muita coisa na corrida de hoje, mas não me afectou, dado que ambos os pilotos terminaram à minha frente. Não éramos suficientemente rápidos este fim-de-semana. Décimo-primeiro foi, provavelmente, o nosso melhor resultado. Aborrece-me que tenhamos rodado quase toda a corrida nos pontos e tenhamos sido ultrapassados no final. O Max [Verstappen] era muito mais rápido que eu. Não tive grande possibilidade de manter aquele ponto. Ainda assim, não há motivos para não tentar. Demos o máximo ao longo de toda a corrida”.

Guenther Steiner (Team Principal)
“Um fim decente para um fim-de-semana complicado. Não marcámos pontos, mas estivemos na luta. Todas as equipas que estão à nossa frente terminaram com dois carros, portanto terminámos em décimo-primeiro, mas combatemos os Toro Rosso e os Renault. Não nos ganharam vantagem pontual, portanto, continuamos em sétimo. Em Singapura será completamente diferente. Vamos ver o que poderemos fazer lá”.