GP da Inglaterra 2016: Resumo da Qualificação da Haas F1 Team

GP da Inglaterra 2016: Resumo da Qualificação da Haas F1 Team

O pneu mais macio disponibilizado pela Pirelli ajudou Gutiérrez a marcar o 10º tempo (1m32,237s) e Grosjean o 12º (1m32,283s), avançando ambos para a Q2.

174

Antes da qualificação para o Grande Prémio da Grã-Bretanha, as equipas tiveram a sua derradeira sessão de treinos para preparar a corrida de cinquenta e duas voltas ao circuito de 5,891 quilómetros e dezoito curvas, no Circuito de Silverstone, de Domingo. A sessão de sessenta minutos deste Sábado foi realizada sob um céu enevoado e sob o ocasional chuvisco. Isto significou que os Pirelli Cinturato Verde/Intermédio foram usados pelas equipas para a suas respectivas voltas de instalação.

Depois de mais de vinte minutos, a pista secou suficientemente para os slicks serem usados. Os pilotos da Haas F1 Team, Esteban Gutiérrez e Romain Grosjean, realizaram a mesma estratégia de pneus – uma série com Pirelli P Zero Branco/Médio e um final de P Zero Amarelo/Macio. Foi com os pneus macios que ambos os pilotos marcaram as suas voltas mais rápidas – 1m32,895s para Gutiérrez, na sua décima volta, e 1m33,344s para Grosjean, na sua décima primeira volta, colocando-os como o décimo primeiro e décimo terceiro mais rápidos, respectivamente. Gutiérrez totalizou doze voltas ao passo que Grosjean realizou treze.

O nome no topo da tabela foi o mesmo das duas primeiras sessões de treinos-livres de Sexta-feira: Lewis Hamilton. O piloto da Mercedes dominou completamente as tabelas de tempos com uma volta rápida em 1m30,904s, ao passo que o seu colega de equipa, Nico Rosberg ficou apenas a 0,063s. No ponto oposto do espectro ficou Marcus Ericsson, que teve um despiste ao volante do seu Sauber na saída de Stowe (Curva 15), resultando numa bandeira vermelha de dezassete minutos.

As nuvens e a a ameaça de chuva mantiveram-se para a qualificação, mas a pista manteve-se seca, permitindo a Gutiérrez e a Grosjean iniciarem a Q1 com pneus macios. O mais macio dos três composto disponibilizados pela Pirelli ajudaram Gutiérrez a marcar o décimo tempo (1m32,237s) e a Grosjean o décimo segundo (1m32,283s), avançando os dois para a Q2 pela quinta vez consecutiva.

A intensidade do vento aumentou para a Q2 e isso foi um factor, dado que Grosjean e Gutiérrez sentiram que as rajadas tiveram um impacto nas suas voltas. Depois de ambos terem realizado séries de cinco minutos no segmento de quinze minutos, nenhum deles estava satisfeito com o resultado. Voltas lançadas efectuadas imediatamente antes do final da Q2 permitiu-lhes melhorar as suas marcas, com Grosjean a assegurar o décimo terceiro tempo (1m32,050s) e Gutiérrez a segui-lo com o décimo quarto crono (1m32,241s). Os pneus macios permaneceram os escolhidos.

Também notável foi a volta rapidíssima de Hamilton. Bateu o seu próprio recorde da pista, registando uma volta em 1m29,243s, que melhorou o seu recorde anterior, assinado em 2013 durante a Q3, em 0,364s

Foi inevitável que tivesse sido Hamilton a assegurar a pole-position para o Grande Prémio da Grã-Bretanha. Mesmo o seu tempo na Q3 foi mais lento que a volta em que realizou um novo recorde. Ainda assim, o autor da pole-position, com a marca de 1m29,287s, foi 0,319s melhor que o segundo classificado, Rosberg, garantindo à Mercedes o monopólio da primeira linha.

Esta é a quinquagésima quinta pole-position de Hamilton, a sexta da temporada e a segunda consecutiva. Foi também a sua quarta pole-position em Silverstone e a segunda consecutiva. Hamilton, nascido em Stevenage (Inglaterra), venceu o Grande Prémio da Grã-Bretanha por três vezes, a última das quais o ano passado.