GP da Hungria 2017: Resumo dos treinos livres da Haas F1 Team

GP da Hungria 2017: Resumo dos treinos livres da Haas F1 Team

O décimo-primeiro round do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 começou de forma pouco auspiciosa para a Haas F1 Team, com duas sessão de treinos-livres difíceis esta Sexta-feira em Hungaroring, Budapeste

40

VF-17 da Haas F1 TeamO décimo-primeiro round do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 começou de forma pouco auspiciosa para a Haas F1 Team, com duas sessão de treinos-livres difíceis esta Sexta-feira em Hungaroring, Budapeste.

Os dois períodos de noventa minutos de treinos no circuito de 4,381 quilómetros e 14 curvas eram valiosos para a equipa preparar o Grande Prémio da Hungria, que se realiza no Domingo, e ambas foram realizados sob calor e sob Sol, a espaços. Mas um despiste madrugador de António Giovinazzi terminou com a sua sessão após apenas oito voltas e danificou o lado esquerdo do carro habitualmente pilotado por Kevin Magnussen, que apenas pôde pilotar o seu VF-17 nos últimos vinte minutos da segunda sessão.

Giovinazzi, o terceiro piloto da Scuderia Ferrari, assumiu os comandos do Haas VF-17 numa sessão de treinos-livres pela segunda vez consecutiva, uma vez que o jovem de vinte e três anos de Martina Franca (Itália), pilotou para a Haas F1 Team na primeira sessão de treinos-livres do Grande Prémio da Grã-Bretanha. A sua melhor volta foi de 1m22,251s, alcançada na sua oitava passagem pela linha de meta, tinha montados pneus Pirelli P Zero Amarelo/Macio.

Por seu lado, o colega de equipa de Magnussen, Romain Grosjean, pôde participar em ambas as sessões, mas teve dificuldades com o equilíbrio do seu carro, o que foi sublinhado por um toque nas barreiras da Curva 9, tinha quatro voltas completadas na primeira sessão de treinos-livres, o que exigiu a mudança da asa traseira do seu carro. Assinou o décimo-segundo registo na primeira sessão e o décimo-oitavo na segunda. O melhor tempo de Grosjean na primeira sessão foi de 1m21,313s, assegurada na décima-quarta volta e na segunda foi de 1m21,504s, na décima-segunda volta, ambas alcançadas com pneus macios.

Magnussen tentou tirar o máximo de partido do tempo limitado que esteve em pista, que ficou ainda mais limitado quando Jolyon Palmer perdeu o controlo do seu Renault e entrou pião na última curva, precipitando o aparecimento das bandeiras vermelhas. Isto deixou Magnussen apenas com doze minutos de pista. Fez o máximo que podia, assinando o crono de 1m21,345s na sua décima volta, com pneus supermacios, o que o deixou no décimo-sétimo lugar da tabela de tempos.

Daniel Ricciardo, da Red Bull, foi o mais rápido na primeira sessão, 1m18,486s, deixando o segundo melhor, Kimi Raikkonen da Scuderia Ferrari, a 0,234s e batendo o anterior recorde por 0,050s – 1m18,436s, assinado por Rubens Barrichello com o seu Ferrari durante a primeira ronda da qualificação do Grande Prémio da Hungria de 2004.

Ricciardo manteve-se no comando na segunda sessão, 1m18,455s, deixando o segundo melhor, Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari, a 0,183s.

No cômputo das duas sessões, a Haas F1 Team completou sessenta e quatro voltas – quarenta e cinco através de Grosjean, onze por Magnussen e oito por Giovinazzi.



Comentários

Romain Grosjean (#8)
“Foi um dia duro para toda a equipa. Temos vindo a sentir algumas dificuldades com o equilíbrio. Penso que podemos dizer que foi uma das nossas piores sextas-feiras desde que a Haas F1 Team se estreou. Temos que recuperar e tentar compreender quais são os problemas. Obviamente, hoje tivemos algumas dificuldades. Amanhã, temos que dar o nosso melhor. Ainda não acabou, mas é evidente que não facilitámos a nossa tarefa”.

Kevin Magnussen (#20)
“Foi um dia difícil e não conseguimos muito nas sessões de Sexta-feira. Consegui realizar apenas algumas voltas de tanque vazio no final da segunda sessão. Portanto, não temos grande sensação sobre como tudo está de momento. Esperamos recuperar amanhã. Certamente que tudo será um pouco mais difícil”.

Antonio Giovinazzi (FP1 driver)
“O carro parecia estar muito bom naquele pequeno período em que estive em pista. Perdi a traseira de uma forma agressiva. Fugiu na entrada para a Curva 11. Não havia nada que pudesse fazer, para ser honesto. Estamos a verificar o que aconteceu. Era importante ter tempo de pista. Perdi cinquenta minutos na primeira sessão, portanto, estou desapontado por mim e também pelo Kevin”.

Guenther Steiner (Team Principal)
“Foi um dia miserável. Deve ser o nosso pior dia desde que nos estreámos há um ano e meio. Nem sei por onde começar. Tivemos acidentes com os dois carros na primeira sessão. Um deles ficou muito danificado, mas graças ao árduo trabalho dos rapazes, pelo menos, conseguimos que o Kevin desse algumas voltas. O carro do Romain ficou menos danificado e ele pôde regressar, mas tivemos dificuldades com o equilíbrio. Vai de sobreviragem para subviragem e não percebemos porquê, portanto, temos que continuar a trabalhar. Vamos esperar perceber o que se passa amanhã e voltar à normalidade”.