GP da Grã-Bretanha 2017: Resumo e comentários da corrida da Haas F1...

GP da Grã-Bretanha 2017: Resumo e comentários da corrida da Haas F1 Team em Silverstone

Os pilotos da Haas F1 Team, Kevin Magnussen e Romain Grosjean terminaram no décimo-segundo e décimo-terceiro lugares, respectivamente, o Grande Prémio da Grã-Bretanha, que se disputou este Domingo no Silverstone Circuit

39

VF-17 da Haas F1 TeamOs pilotos da Haas F1 Team, Kevin Magnussen e Romain Grosjean terminaram no décimo-segundo e décimo-terceiro lugares, respectivamente, o Grande Prémio da Grã-Bretanha, que se disputou este Domingo no Silverstone Circuit.

Ambos os pilotos adoptaram uma estratégia de uma paragem para a corrida de cinquenta e uma voltas ao circuito de 5,891 quilómetros e dezoito curvas, mas o timing das suas paragens divergiu drasticamente.

Grosjean arrancou de décimo e realizou a sua paragem na vigésima-terceira volta, trocando pneus Pirelli P Zero Vermelho/Supermacio por macios. Isto deixou-o no décimo-quinto lugar.

Magnussen foi o último piloto a entrar nas boxes, rodando trinta e sete voltas com os pneus macios com que iniciou a corrida, trocando para um jogo de supermacios quase novo, que tinha apenas três voltas. Manter-se em pista permitiu a Magnussen subir até sétimo, com um meio de pelotão tão competitivo a realizar voltas com pneus mais frescos, Magnussen não tinha uma vantagem suficientemente grande para manter os lugares que tinha conquistado.

Magnussen regressou à pista, depois da sua paragem nas boxes, no décimo-quarto lugar, mas rapidamente ultrapassou o Williams de Lance Stroll, na quadragésima volta, para subir a décimo-terceiro.

Então, Grosjean e Magnussen rodavam no décimo-segundo e décimo-terceiro lugares, respectivamente. Mas na quadragésima-terceira volta Grosjean foi obrigado a realizar uma paragem nas boxes não planeada, uma vez que Marcus Ericsson danificou o pneu traseiro/direito do seu Haas VF-17 na Curva 16. Com um novo jogo de pneus supermacios, Grosjean regressou à pista em décimo-terceiro atrás de Magnussen, que herdou o décimo-segundo posto. O duo manteve as suas posições nas derradeiras seis voltas da corrida, tendo apenas os sete primeiros terminado na mesma volta do líder.

O tricampeão mundial, Lewis Hamilton, liderou todas as voltas, tendo vencido o Grande Prémio da Grã-Bretanha. O piloto da Mercedes registou a sua quinquagésima-sétima vitória na Fórmula 1, a sua quarta da temporada e a sua quarta consecutiva em Silverstone. Foi também a quinta vitória de Hamilton no Grande Prémio da Grã-Bretanha, o que o deixou empatado com Jim Clark e Alain Prost como os pilotos que mais vitórias têm na prova britânica.

Hamilton deixou o seu colega de equipa na Mercedes, Valtteri Bottas, a uns expressivos 14,063s. A vitória foi importante para o campeonato de Hamilton, uma vez que reduziu em dezanove pontos a liderança no campeonato de Vettel. Agora apenas um ponto separa os dois.

Após dez rounds dos vinte que compõem o Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, a Haas F1 Team mantém o sétimo posto no Campeonato de Construtores com vinte e nove pontos, mas tem apenas três pontos de vantagem para a oitava classificada, a Renault, que conquistou oito pontos graças ao sexto lugar de Nico Hulkenberg.

A diferença para a Toro Rosso manteve-se nos quatro pontos, uma vez que tanto Daniil Kvyat como Carlos Sainz não terminaram entre os dez primeiros. Grosjean e Magnussen mantiveram-se no décimo-terceiro e décimo-quarto lugares, respectivamente, no Campeonato de Pilotos. Grosjean tem dezoito pontos e Magnussen onze.

A Fórmula 1 tem agora um fim-de-semana de folga, regressando à acção nos dias 28-30 em Hungaroring, Budapeste, onde se realiza o Grande Prémio da Hungria.



Comentários

Romain Grosjean (#8)
“Foi um dia difícil de trabalho. Hoje, não tínhamos muito ritmo com qualquer um dos tipos de pneus. Inicialmente, fiquei preso no tráfego, o que matou os supermacios. Parei para montar macios e, uma vez mais, apanhei tráfego. Tentámos no final arriscar, montando um novo jogo de pneus supermacios, na expectativa de que acontecesse alguma coisa à frente, o que acabou por não suceder. Temos que perceber o porquê de não termos ritmo de corrida e evoluir a partir daí”.

Kevin Magnussen (#20)
“Senti que o Toro Rosso bateu no meu pneu no arranque, mas não aconteceu nada. Felizmente, não tive um furo. Não consegui uma boa primeira volta. Será sempre difícil quando começamos com uma estratégia inversa e com o pneu mais lento. Aquele primeiro stint manteve-me fora dos pontos. O ritmo do carro não estava mau, apenas tinha que fazer um longo stint com os pneus, esperar que os rapazes da frente parassem e realizar boas voltas. Recuperei um pouco no início, mas não foi o suficiente. Sempre que estamos fora dos pontos, não é muito interessante. Ainda assim, houve alguns aspectos positivos. Fomos rápidos e tivemos um bom ritmo de corrida”.

Guenther Steiner (Team Principal)
“Foi um fim-de-semana mediano. Não marcámos pontos, mas o Kevin mostrou um bom ritmo de corrida. Perdemos algumas posições no arranque e foi aí que terminámos. Mais uma vez, tínhamos um ritmo semelhante ao dos nossos adversários – apenas estávamos no lugar errado. Tenho ainda confiança no carro. Podemos lutar no meio do pelotão. Desta vez, estávamos no parte final do grupo. Muda muito todos os fins-de-semana. Não é isto que queríamos mas, ainda assim, terminámos com ambos os carro. Agora vamos para a Hungria”.