GP da Grã-Bretanha 2017: Resumo da Qualificação da Haas F1 Team

GP da Grã-Bretanha 2017: Resumo da Qualificação da Haas F1 Team

Os pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, qualificaram-se em 10º e 17º, respectivamente, para o Grande Prémio da Grã-Bretanha, que se realiza Domingo em Silverstone. No entanto, Magnussen arrancará do décimo-sexto lugar devido à penalização de trinta lugares sofrida por Fernando Alonso

42

VF-17 da Haas F1 TeamOs pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, qualificaram-se em décimo e décimo-sétimo, respectivamente, para o Grande Prémio da Grã-Bretanha, que se realiza Domingo em Silverstone. No entanto, Magnussen arrancará do décimo-sexto lugar devido à penalização de trinta lugares sofrida por Fernando Alonso, o décimo-terceiro na qualificação, que alinhará no final da grelha de partida.

A qualificação começou com a pista molhada, com a chuva fraca a humedecer o circuito de 5,891 quilómetros e dezoito curvas o suficiente para as equipas escolherem os pneus intermédios Pirelli Cinturato Verde ao longo da Q1. O pilotos foram descobrindo a superfície uma vez que era difícil encontrar tracção. Grosjean encontrou forma de passar à Q2, ao assegurar o décimo-quinto tempo com a marca de 1m42,042s. Magnussen não avançou, uma vez que a sua volta, 1m42,577s, deixou-o no décimo-sétimo lugar e apenas os quinze mais rápidos passam à Q2.

A chuva diminuiu na Q2, permitindo que a pista apresentasse condições para montar pneus slicks. A Haas F1 Team montou no Haas VF-17 de Grosjean pneus Pirelli P Zero Vermelho/Supermacio e ele usou-os para assegurar o nono tempo, 1m29,966s. A volta permitiu que Grosjean subisse à Q3 pela segunda vez consecutiva e a quinta esta temporada. Apenas os dez primeiros passam à Q3.

A marca de Grosjean na Q3 foi de 1m29,549s, o que o colocou no décimo lugar. A tentativa para melhorar esse tempo terminou quando Grosjean foi prejudicado por Lewis Hamilton, que acabaria por ficar com a pole-position. Grosjean perdeu três décimos de segundo devido ao piloto da Mercedes e o incidente foi investigado pelos Comissários Desportivos. O Comissários Desportivos, porém, determinaram que Hamilton não causou qualquer infracção.

Hamilton conquistou a pole-position com a marca de 1m26,600, registando um novo recorde de qualificação para a pista e bateu Kimi Raikkonen, o segundo mais rápido, por 0,547s. Foi a sexagésima-sétima pole-position na Fórmula 1 da carreira de Hamilton, deixando-o a uma do recorde absoluto de Michael Schumacher. Foi também a sexta pole-position de Hamilton da temporada, a terceira consecutiva em Silverstone, assim como a sua quinta no Grande Prémio da Grã-Bretanha, igualando Jim Clark.

Antes de Grosjean, Magnussen e o resto do pelotão participarem na qualificação tiveram ainda a sessão final de treinos-livres.

Ambos os pilotos usaram todos os compostos para seco que a Pirelli levou para Silverstone – os médios, os macios e os supermacios – tendo ainda usado os intermédios quando começou a chover a vinte minutos do final da sessão.

Grosjean e Magnussen usaram programas semelhantes, realizando com pneus médios uma volta de instalação, seguindo-se sete e oito voltas lançadas, respectivamente, com macios, para depois realizarem seis voltas com supermacios. Cada um deles completou três voltas com a pista molhada, experimentando os pneus intermédios.

Grosjean completou catorze voltas, ficando com o sétimo tempo, 1m29,819s, na sua décima volta. Magnussen realizou quinze voltas e na sua melhor assegurou na décima-primeira o décimo-terceiro tempo, 1m30,270s. Ambos os pilotos conseguiram as suas melhores marcas com pneus supermacios.

Hamilton foi o mais rápido na terceira sessão, 1m28,063s, batendo o segundo classificado, Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari, por 0,032s. Os pilotos da Sauber Pascal Wehrlein e Marcus Ericsson foram quem mais voltas completou, vinte e quatro cada um.



Comentários

Romain Grosjen (#8)
“Não estou nada satisfeito com o 10º lugar. Na primeira volta lançada na Q3 fui completamente bloqueado pelo Lewis Hamilton na última curva e perdi com isso três décimos de segundo. Custou-me uma posição. Na segunda volta lançada pensei que poderia melhorar, mas quando cheguei à Curva 3, surpreendentemente, as rodas traseiras bloquearam de forma massiva e perdi quase meio segundo. Recuperei durante a restante volta, portanto, penso que tinha muito mais performance do que aquela que demonstrámos. Estou muito insatisfeito com a minha primeira volta, que foi completamente arruinada na última curva. Para além disso, estamos bem e estamos a desempenhar um bom trabalho. É bom estar de novo na Q3, mas poderia ter sido muito melhor, portanto, estou um pouco desapontado”.

Kevin Magnussen (#20)
“O carro estava mais ou menos com a mesma performance no molhado que tínhamos no seco. Não estamos tão fortes como esperávamos. Temos que ver porquê e tentar perceber o que se passa. O nosso ritmo de corrida parece muito melhor, mas na qualificação, numa volta, não estamos muito competitivos este fim-de-semana, o que é pena. O aspecto positivo é que o ritmo de corrida é bom e é disso que precisamos para sermos rápidos. Vamos ver o que podemos fazer”.

Guenther Steiner (Team Principal)
“Estamos de volta à montanha russa, de volta à excitação. Tivemos uma boa terceira sessão de treinos-livres e fomos para a qualificação com optimismo. Penso que o nosso carro é competitivo. Com a chuva foi um pouco de lotaria. Uma lotaria ganhámos, outra perdemos. Infelizmente, o Kevin não passou da Q1, mas o Romain chegou à Q3. Penso que estávamos a ir bem. Então, o Romain, com o seu primeiro jogo de pneus, foi prejudicado pelo Lewis. Na sua segunda volta lançada tivemos um pequeno problema aerodinâmico e bloqueou as rodas na Curva 3, e foi isso. Vamos arrancar de décimo, o que é uma boa posição para podermos conquistar pontos. Estou confiante nas capacidades do Kevin e na performance do carro nas séries longas e penso que podemos colocar como objectivo os pontos também para aquele carro”.