GP da Grã-Bretanha 2017: Antevisão da Haas F1 Team para Silverstone

GP da Grã-Bretanha 2017: Antevisão da Haas F1 Team para Silverstone

Haas F1 Team a caminho de Silverstone ao ritmo do Rock’n’Roll. A Haas F1 Team procura no Grande Prémio da Grã-Bretanha o seu sexto resultado consecutivo nos pontos

31

VF-17 da Haas F1 TeamNo final da sua temporada de estreia, a Haas F1 Team ficou num respeitável oitavo lugar do Campeonato de Construtores, registando vinte e nove pontos. Este número de pontos foi o mais elevado que qualquer equipa alcançou neste novo milénio. Quando a Jaguar se estreou em 2000 e a Toyota em 2002, cada uma delas conseguiu terminar nos pontos apenas por duas vezes nas suas respectivas épocas de estreia, tendo no total marcado seis pontos.

Uma das questões da temporada era como a Haas F1 Team se comportaria na sua segunda temporada no Campeonato do Mundo de Fórmula 1 – uma época com um novo carro construído de acordo com um novo conjunto de regulamento ao longo da campanha de 2016. Muito bem, parece.

Com nove corridas disputadas da sua segunda temporada na categoria, a Haas F1 Team igualou a quantidade de pontos que alcançou em 2016. Por sete vezes a equipa americana terminou nos pontos e os seus pilotos, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, vão para o Grande Prémio da Grã-Bretanha, que se realiza no próximo fim-de-semana no Silverstone Circuit, com a ambição de conquistar pontos pela oitava vez este ano, a sexta consecutiva.

Estes resultados permitem à Haas F1 Team solidificar o seu sétimo posto no Campeonato de Construtores, abrindo uma vantagem de onze pontos para o oitavo classificado, a Renault, estando agora a bater à porta da sexta classificada, a Toro Rosso, que está apenas a quatro pontos.

Grosjean garantiu o melhor resultado da equipa até agora, ao terminar no sexto posto o Grande Prémio da Áustria, no Red Bull Ring, em Spielberg. Esta performance seguiu-se ao sétimo lugar alcançado por Magnussen no Grande Prémio do Azerbaijão. Com resultados de apenas um ponto no Grande Prémio de Espanha e no Grande Prémio do Canadá, entre as duas a Haas F1 Team conquistou o seu primeiro resultado duplo nos pontos, no Grande Prémio do Mónaco, onde Grosjean terminou em oitavo e Magnussen em décimo. Nas últimas cinco corridas foram somados vinte e um pontos.

Enquanto algumas equipas no paddock de Fórmula 1 lamentam as corridas seguidas, a Haas F1 Team aprecia a rápida viagem entre Spielberg e Silverstone. A ainda jovem equipa está claramente no ritmo do Rock’n’Roll na sua segunda temporada na Fórmula 1. Quanto menos tempo entre provas, melhor.

Haver menos tempo entre corridas é apropriado, considerando que uma volta a Silverstone levará menos tempo que nunca. O circuito de 5,891 quilómetros e dezoito curvas que está situada a cerca de uma viagem de carro de duas horas de Londres, é considerado um circuito de potência. É um dos circuitos rápidos, com médias de cerca de 225Km/h, devendo aumentar durante o Grande Prémio da Grã-Bretanha, graças às altíssimas velocidades que os pilotos alcançarão com a nova geração de carros – mais baixos, mais largos e visivelmente mais rápidos.

É o terceiro circuito mais longo do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, apenas atrás do Circuito de Spa-Francorchamps (7,004 quilómetros) e do Circuito Citadino de Baku (6,003 quilómetros). A maior parte do layout de Silverstone é constituída por curvas de média e alta velocidade, permitindo aos pilotos rodarem cerca de sessenta e cinco porcento das voltas com o acelerador no máximo.

As equipas rodam com os seus carros em níveis aerodinâmicos médios/altos para que possam negociar da melhor forma as impressionantes velocidades alcançadas nas curvas de Silverstone. Estes níveis de apoio são obtidos porque o circuito tem relativamente poucas rectas longas, muito embora sejam alcançadas velocidades elevadas.

Conquistas é o que Grosjean e Magnussen esperam sempre que entram no Haas VF-17. Seja a velocidade com que igualaram os pontos alcançados o ano passado pela Haas F1 Team, ou a velocidade que esperam alcançar no traçado de Silverstone, o Grande Prémio da Grã-Bretanha fornece uma oportunidade para ganhar mais pontos e mais possibilidade para estabelecer a equipa na Fórmula 1.