GP da Bélgica 2017: Resumo da Qualificação da Haas F1 Team

GP da Bélgica 2017: Resumo da Qualificação da Haas F1 Team

Os pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, qualificaram-se em 12º e 13º, respectivamente, para o Grande Prémio da Bélgica, que se realiza Domingo em Spa-Francorchamps. Foi a quarta vez esta temporada que ambos os pilotos passaram à Q2.

31

VF-17 da Haas F1 TeamOs pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, qualificaram-se em 12º e 13º, respectivamente, para o Grande Prémio da Bélgica, que se realiza Domingo em Spa-Francorchamps. Foi a quarta vez esta temporada que ambos os pilotos passaram à Q2.

Magnussen realizou o décimo-segundo crono na Q1, com uma volta realizada ao circuito de 7,004 quilómetros e dezanove curvas em 1m45,535s. Grosjean foi o décimo-quinto, 1m45,728s. Apenas os quinze mais rápidos passam à Q2.

Na Q2, Grosjean assegurou o décimo-segundo tempo, 1m45,133s, e Magnussen ficou a 0,267s do seu colega de equipa, registando a décima-terceira marca, 1m45,400s. Grosjean melhorou a sua marca da Q1 em 0,595s e Magnussen 0,135s. Apenas os dez pilotos mais rápidos da Q2 passaram à Q3.

Ambos os pilotos, Grosjean e Magnussen, rodaram exclusivamente com pneus Pirelli P Zero Roxo/Ultramcio ao longo da qualificação.

Lewis Hamilton, da Mercedes, conquistou a pole-position para o Grande Prémio da Bélgica. A sua melhor volta, 1m42,553s, registou um novo recorde para a pista de Spa, melhorando a marca assegurada por Kimi Raikkonen, da Scuderia Ferrari, durante a terceira sessão de treinos-livres.

Raikkonen melhorou o anterior recorde em 0,587s. A marca anterior, 1m44,503, foi registada por Jarno Trulli no seu Toyota durante a qualificação para o Grande Prémio da Bélgica de 2009. A marca de Hamilton destruiu o recorde de oito anos, melhorando 1,950s.

Com um recorde conquistado, a velocidade de Hamilton permitiu-lhe alcançar outro. Foi a sua sexagésima-oitava pole-position na Fórmula 1 para Hamilton, ficando igualado com Michael Schumacher no número de pole-positions conquistadas. Foi também a sétima pole-position da sua temporada, a sua quarta em Spa, deixando Sebastian Vettel, da Ferrari, a 0,242s.

Antes de Grosjean, Magnussen e o resto do pelotão participarem na qualificação, tiveram ainda a sessão final de treinos-livres.

Magnussen e Grosjean realizaram o mesmo programa na terceira sessão de treinos-livres, que se iniciou com uma volta de reconhecimento, com pneus Pirelli Cinturato Verde/Intermédio, seguido de séries com macios e, depois, com supermacios.

Grosjean realizou o décimo terceiro crono, 1m46,196s, na sua décima volta das catorze que completou. Magnussen registou treze e também conquistou o seu melhor tempo na décima volta – 1m46,690s, que o colocou no décimo-sétimo lugar. Ambos os pilotos alcançaram as suas marcas com pneus supermacios.

Raikkonen foi o mais rápido na terceira sessão, 1m43,916s, deixando o segundo classificado, Vettel, a 0,197s.

Comentários

Romain Grosjean (#8)
“Ontem, experimentámos diferentes níveis de apoio aerodinâmico e, claramente, tínhamos um que era demasiado leve e tornava o carro difícil de pilotar. Hoje, estou muito satisfeito comigo e com a equipa. Foi uma volta de qualificação diabólica. Poderia ter feito melhor com um cone de ar, mas não estava suficientemente perto do carro à minha frente para poder ter alguma vantagem na recta. O resto da volta foi fantástica. Era o melhor que poderíamos fazer, para ser honesto.

No que diz respeito a afinações, estamos bem. Dei o máximo, nos circuitos de pouco apoio aerodinâmico temos sempre algumas dificuldades. Será uma corrida longa, amanhã, com muitas coisas a acontecer. Ninguém tem verdadeira informação sobre a degradação dos pneus e das poucas voltas que realizei ontem com tanque cheio, o carro estava bom. Estou ansioso”.

Kevin Magnussen (#20)
“A qualificação correu bem. Na última volta lançada não consegui juntar os sectores, o que foi uma pena. Não penso que isso alterasse muito, para dizer a verdade, mas nunca é bom quando não fazemos uma boa volta. No fundo, penso que a desvantagem era demasiado grande. Apenas o Romain estava ao meu alcance.

Não é uma má posição para tentar conquistar pontos na corrida de amanhã. Não aconteceu muito à nossa frente para nos colocar nos pontos. Não sabemos como está o carro em configuração de corrida, mas vamos ver amanhã. Não espero que seja diferente de hoje. Deveremos estar em posição de lutar por pontos”.

Guenther Steiner (Team Principal)
“Ontem, ficaríamos com estes resultados sem pensar duas vezes, mas queremos sempre mais. Esta manhã pareceu que estávamos bem. Todos realizaram um bom trabalho. Terminámos em 12º e 13º e estamos muito perto do décimo-primeiro. Amanhã, com estas posições, temos a possibilidade de escolher os pneus, portanto, vamos ver o que podemos fazer”.