GP Brasil 2016: Resumo da Corrida da Haas F1 Team em Interlagos

GP Brasil 2016: Resumo da Corrida da Haas F1 Team em Interlagos

O Grande Prémio do Brasil, que se disputou este Domingo em Interlagos, São Paulo, iniciou-se de uma forma pouco auspiciosa para a Haas F1 Team.

127

O Grande Prémio do Brasil, que se disputou este Domingo no Autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, São Paulo, iniciou-se de uma forma pouco auspiciosa para a Haas F1 Team. Com condições de pista molhada e difíceis, o dia de Romain Grosjean rapidamente ficou ainda mais difícil, quando colocou em pião o seu Haas VF-16 durante a volta de reconhecimento a caminho da grelha de partida.

Grosjean foi de traseira para as barreiras de protecção na aproximação à recta da meta, tendo o seu carro sofrido danos substanciais no lado esquerdo. Com a impossibilidade dos mecânicos efectuarem reparações, o dia de Grosjean terminou ainda antes de começar. Deveria ter arrancado de sétimo, ao igualar a sua melhor performance em qualificação (Japão), antes de ter sido bafejado pelo azar.

Isto deixou Esteban Gutiérrez, que arrancou do décimo segundo lugar, como o único representante da Haas F1 Team no penúltimo round do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 de 2016.

Gutiérrez e o resto dos seus adversários iniciaram a corrida com pneus de chuva Pirelli Cinturato Azul. As primeiras sete voltas foram realizadas atrás do Safety-Car, antes da direcção de corrida decidir libertar os pilotos no circuito de 4,309 quilómetros e quinze curvas.

Antes do Safety-Car abandonar a pista, algumas equipas tomaram a decisão agressiva e arriscada de colocar os seus pilotos com Pirelli Cinturato Verde/Intermédio, enquanto a chuva continuava a cair. A Haas F1 Team tomou uma abordagem mais conservadora com Gutiérrez, esperando montar pneus intermédios na décima quarta volta.

Na décima quarta volta foi também o início do segundo período de Safety-Car, desta vez devido ao despiste do Sauber de Marcus Ericsson. O Safety-Car virou para a via das boxes na décima nona volta e, quando o pelotão iniciava a vigésima, Kimi Raikkonen entrou em pião prontamente na recta da meta. O seu Ferrari ficou seriamente danificado, quando embateu no muro interno, e isto foi o suficiente para que a direcção de corrida decidisse mostrar as bandeiras vermelhas na vigésima primeira volta.

Gutiérrez era, então, décimo sétimo, por onde se manteve depois da situação de bandeiras vermelhas ter terminado. Apesar dos carros rodarem pela pista, não havia competição. Mais uma vez, eram liderados pelo Safety-Car até que ao fim de sete voltas, a direcção de corrida decidiu voltar a mostrar as bandeiras vermelhas, uma vez que a chuva persistente tornou a pista incapaz de permitir a competição.

Esta situação de bandeiras vermelhas teve a duração de vinte e sete minutos, até que foi dado mais um recomeço com Safety-Car, estavam cumpridas vinte e nove voltas. A bandeira verde foi mostrada, finalmente, três voltas depois, estando então Gutiérrez envolvido numa intensa batalha no meio do pelotão, chegando a rodar no décimo segundo posto, quando estávamos na quadragésima volta. A recuperação de Gutiérrez rumo aos dez primeira foi, contudo, dificultada por uma série de problemas eléctricos, que culminaram no seu abandono na boxe depois de sessenta voltas.

Lewis Hamilton sobreviveu a todos os elementos e venceu o Grande Prémio do Brasil. Foi a sua quinquagésima segunda vitória na Fórmula 1, ultrapassado a lenda Alain Prost na lista dos mais vitoriosos de sempre. Apenas Michael Schumacher, com noventa e uma vitórias, tem mais triunfos que Hamilton. Foi também a nona vitória de Hamilton esta temporada e a sua terceira consecutiva, mas foi apenas a primeira no Autódromo José Carlos Pace. A margem da vitória de Hamilton foi impressionante, deixando o seu colega de equipa na Mercedes, Nico Rosberg, a 11,455s. Esta vitória reduziu a vantagem de Rosberg para Hamilton no Campeonato do Mundo de Pilotos de dezanove para doze, quando falta apenas disputar uma corrida.

Com vinte das vinte e uma etapas previstas no calendário de Fórmula 1 deste ano já disputados, a Haas F1 Team está no oitavo lugar do Campeonato de Construtores com vinte e nove pontos. A Toro Rosso, a sétima classificada, estendeu a sua margem face à equipa americana para trinta e quatro pontos, uma vez que Carlos Sainz terminou em sexto lugar, garantindo oito pontos. A Haas F1 Team manteve a sua vantagem de vinte e um pontos para a nona classificada, a Renault, uma vez que também esta equipa não marcou qualquer ponto.

A Fórmula 1 tem agora um fim-de-semana de folga para voltar à acção para o final da temporada no Grande Prémio de Abu Dhabi, que se realiza no Circuito de Yas Marina no dia 27 de Novembro.