GP da Alemanha 2016: Resumo da corrida da Haas F1 Team

GP da Alemanha 2016: Resumo da corrida da Haas F1 Team

Esteban Gutiérrez e Romain Grosjean lutaram arduamente para terminarem o GP da Alemanha no Hockenheimring em 11º e 13º, respectivamente.

112

Os pilotos da Haas F1 Team, Esteban Gutiérrez e Romain Grosjean, lutaram arduamente para terminarem em décimo primeiro e décimo terceiro, respectivamente, o Grande Prémio da Alemanha, que se disputou este Domingo em Hockenheimring, Baden-Württemberg.

Apesar de esse esforço não ter merecido pontos, foi ainda assim uma excelente prestação da equipa americana, uma vez que ambos os pilotos tiveram que realizar grandes recuperações. Gutiérrez foi bloqueado no arranque e caiu para o décimo oitavo lugar, ao passo que Grosjean arrancou para a corrida de sessenta e sete voltas do vigésimo posto, depois de uma penalização de cinco lugares por ter trocado de caixa de velocidades no Sábado.

O duo empregou uma estratégia de duas paragens nas boxes, mas com diferentes selecções de pneus. Gutiérrez começou a corrida com pneus Pirelli P Zero Amarelo/Macio e Grosjean alinhou com supermacios. A paragens nas boxes iniciaram-se na oitava volta, mas os pilotos da Haas F1 Team permaneceram na pista de 4,574 quilómetros e dezassete curvas o máximo que puderam, antes de pararem para a primeira troca de pneus, o que lhes permitiu ganhar muitas posições.

Grosjean entrou para realizar o seu primeiro ‘pit-stop’ no final da décima sétima volta, depois de subir até ao oitavo lugar. Gutiérrez foi o último piloto a realizar a sua primeira troca de pneus, na vigésima quinta volta, ascendendo à décima segunda posição. Grosjean montou um jogo de pneus macios novos, ao passo que Gutiérrez trocou para supermacios.

As paragens nas boxes, naturalmente, contribuiram para que ambos os pilotos caíssem na classificação, mas a meio da corrida, quando as estratégias das outras equipas se revelarem, a dupla da Haas F1 Team estava a rodar junta, com Grosjean no décimo segundo lugar e Gutiérrez no décimo terceiro.

A derradeira ronda de paragens nas boxes da equipa iniciou-se na quadragésima terceira volta, quando Grosjean parou para montar pneus supermacios. Gutiérrez seguiu-se no final da quadragésima sétima volta, montando também borrachas supermacias.

Apesar de depois de todas as paragens nas boxes concluídas ambos os pilotos estarem com uma volta de atraso, qualquer um deles permaneceu perto dos dez primeiros, com Gutiérrez no décimo quarto lugar e Grosjean no décimo quinto, faltavam dezasseis voltas para a bandeirada de xadrez. Ambos realizaram ultrapassagens de grande mestria para suplantar Kevin Magnussen, da Renault, com Gutiérrez a realizá-la na quinquagésima segunda volta e Grosjean a fazer o mesmo na quinquagésima quinta.

As ultrapassagens, juntamente com a entrada nas boxes do Toro Rosso de Carlos Sainz para trocar pela última vez de pneus, permitiu a Gutiérrez subir ao décimo segundo lugar e Grosjean ao décimo terceiro.

Com três voltas para o final, novas oportunidades surgiram, uma vez que Fernando Alonso teve problemas de pneus, depois de puxar o seu McLaren ao limite. Sérgio Pérez, da Force India, ultrapassou-o, subindo ao décimo posto, tendo Alonso continuado a perder ritmo, o que permitiu a Gutiérrez subir ao décimo primeiro lugar na última volta. Grosjean já não teve tempo de apanhar Alonso, o que o impediu de ganhar mais uma posição antes da bandeirada de chegada.

Com doze etapas das vinte e uma que constituem a temporada deste ano da Fórmula 1 disputadas, a Haas F1 Team mantém-se em oitavo lugar no Campeonato de Construtores com vinte e oito pontos. No entanto, a sétima classificada, a McLaren, abriu a sua vantagem para a equipa americana para catorze pontos, graças aos pontos conquistados por Jenson Button, que terminou no oitavo posto. A Haas F1 Team continua com uma vantagem de vinte e dois pontos para a nona classificada, a Renault, uma vez que nem Kevin Magnussen nem Jolyon Palmer terminaram nos pontos.

Lewis Hamilton venceu o Grande Prémio da Alemanha, deixando Daniel Ricciardo, da Red Bull, a 6,996s. O triunfo permitiu a Hamilton estender a sua vantagem no Campeonato de Pilotos para dezanove pontos, face a Nico Rosberg, um ganho de treze. Foi a quadragésima nona vitória de Hamilton na Fórmula 1, a sua sexta da temporada e quarta consecutiva. Foi também o seu segundo sucesso no Hockenheimring, depois de ter vencido em 2008, na sua segunda temporada de Fórmula 1.

Com nove corridas por disputar, a próxima prova do calendário de 2016 da Fórmula 1 realiza-se dentro de três semanas, o Grande Prémio da Bélgica, em Spa-Francorchamps.