FIA Junior WRC 2016: Nova vitória para Tempestini no Rali da Polónia

FIA Junior WRC 2016: Nova vitória para Tempestini no Rali da Polónia

Já vencedores em Portugal, Simone Tempestini e Giovanni Bernacchini alcançaram nova vitória, impondo-se nas estradas do Rali da Polónia.

92

Já vencedores em Portugal, Simone Tempestini e Giovanni Bernacchini alcançaram nova vitória, impondo-se nas estradas do Rali da Polónia. Graças a este perfeito início de temporada, a dupla italiana cava o fosso na classificação geral do Junior WRC. De novo no pódio, Terry Folb e Franck Le Floch agora são os seus mais próximos perseguidores.

O primeiro golpe de teatro no Rali da Polónia ocorreu durante o shakedown, quando Martin Koci saiu da estrada numa série impressionante de capotamento. O carro ficou muito danificada e a equipa foi forçada a abandonar.

Vencedor da Super Especial na noite de Quinta-feira, Andrea Crugnola foi o primeiro líder da prova. Determinado a compensar os pontos perdidos em Portugal, o italiano continuou o seu esforço na Sexta-feira de manhã, alcançando dois melhores tempos, sempre à frente de Ole Christian Veiby e de Simone Tempestini. Mas as esperanças de Crugnola voaram na ES4, quando partiu o radiador no final de um salto e abandonou.

Esta especial foi também difícil para Lukasz Pieniazek, com o polaco a perder mais de um minuto quando fez uma excursão pela paisagem circundante. Veiby herdou, então, o comando com um magro décimo de segundo sobre Tempestini. Na ES5, este último assumiu a liderança, que manteve até metade do dia. No 2º lugar vinha Veiby, à frente de Folb, Al Mutawaa, Dubert, Martel e Pieniazek.

Alcançando o melhor tempo em três troços da tarde de Sexta-feira, Tempestini cavava um pequeno fosso sobre Veiby, terminando o dia com um avanço de 12,8 segundos. Apesar de um furo na ES9, Terry Folb alcançava um sólido 3º lugar, algumas dezenas de segundos à frente de Vincent Dubert e de Romain Martel.

A tarde acabou por ser mais difícil para Mohamed Al Mutawaa (embraiagem partida como resultado de uma saída de estrada) e Lukasz Pieniazek (transmissão). Eles e Crugnola estavam, no entanto, determinados em alinhar no dia seguinte sob as regras de Rally2.

O dia de Sábado assemelhava-se a uma maratona, com uma sequência de 7 especiais, apenas com uma mudança de pneus autorizada a meio do dia. Veiby começou com um melhor tempo na ES11, mas danificou a suspensão traseira na especial seguinte. Com duas vitórias em troços, Tempestini aumentou a vantagem para 42,5 segundos. Atrás dele, seguia um sempre regular Folb, enquanto Martel era 4º depois de Dubert ter sido penalizado por falsa partida numa especial.

Já Pieniazek e Al Mutawaa recuperavam um pouco, a braços com problemas de transmissão, que os colocavam longe dos líderes. Em contrapartida, Crugnola, foi forçado a abandonar por uma razão estranha, pois depois de perder seis minutos devido a um furo, não pôde mudar de pneus a meio do dia devido a um defeito no macaco.

De regresso a Mikolajki, Veiby viu-se confrontado com uma transmissão partida, cedendo o seu 2º lugar a Folb, já a mais de três minutos do líder. Depois de ter resolvido os seus problemas de caixa de velocidades, Pieniazek destacou-se por assinar o melhor tempo na ES16.
A Simone Tempestini bastava, assim, gerir o avanço durante a terceira e última etapa.

Em condições particularmente difíceis devido à chuva, ele manteve a liderança da prova, vencendo com mais de três minutos sobre Terry Folb. Autor de dois melhores tempos de manhã, Ole Christian Veiby, completou o pódio. A 35 segundos de Romain Martel a meio da etapa, Vincent Dubert tinha como objectivo recuperar o 4º lugar, mas a anulação da ES20 impediu-o de o alcançar e o normando terminou na frente do marselhês. Lukasz Pieniazek e Mohamed Al Mutawaa completaram a classificação marcando preciosos pontos.

“Foi um bom rali para nós, tendo em conta a ordem de partida dos concorrentes do FIA Junior WRC, em que era mais difícil gerir as segundas passagens nos troços, porque certas zonas estavam muito destruídas. Era fácil danificar o veículo ou desistir. Não ataquei do mesmo modo em todas as especiais e esta foi uma boa estratégia. Ao mesmo tempo, os nossos adversários tiveram a sua quota-parte de problemas e isso facilitou a tarefa. Foi aqui que alcancei a minha primeira vitória no ano passado, é óptimo repeti-la, especialmente depois da vitória em Portugal. Na Finlândia, o meu objectivo será idêntico, porque a terra é a minha superfície preferida. Se tudo funcionar bem, tal permitiria gerir o asfalto da Alemanha e da Córsega”, comentou Simone Tempestini.

Pierre-Louis Loubet foi 6º no WRC2

No seu primeiro rally no campeonato WRC2 ao volante do DS3 R5, Pierre-Louis Loubet (19 anos) e Vincent Landais realizaram uma prova regular, com uma evolução gradual, alcancando os pontos do 6º lugar final. Os outros DS3 R5 não alcançaram o final da prova, com Yoann Bonato a abandonar com uma saída da estrada, enquanto Quentin Gilbert e Emil Bergkvist foram traídos pela mecânica.

Classificação do FIA Junior WRC 2016 – Polónia

1. Tempestini / Bernacchini, 3h04’11’’3
2. Folb / Le Floch, +3’22’’3
3. Veiby / Skjaermoen, +6’02’’2
4. Martel / Lemoine, +7’53’’0
5. Dubert / Coria, +8’58’’4
6. Pieniazek / Mazur, +32’00’’6
7. Al Mutawaa / McAuley, +53’59’’3

Campeonato FIA Junior WRC 2016

1. Simone Tempestini, 50 pts
2. Terry Folb, 33
3. Ole Christian Veiby, 25
4. Vincent Dubert, 22
5. Martin Koci et Romain Martel, 18
6. Mohamed Al Mutawaa, 10
7. Lukasz Pieniazek, 9
8. Frédéric Hauswald, 8
9. Andrea Crugnola, 2