Fernando Santos vence Globo de Ouro Mérito, Excelência e Carreira

Fernando Santos vence Globo de Ouro Mérito, Excelência e Carreira

Este é o último Globo (o mais importante de todo a Gala) a ser entregue e o seu vencedor é sempre uma grande surpresa guardada pela SIC e pela Caras, entidades que organizam o evento

69

O seleccionador nacional Fernando Santos acaba de vencer o Globo de Ouro Mérito, Excelência e Carreira entregue em mãos pelo Presidente do Grupo Impresa, Francisco Pinto Balsemão.

Este é o último Globo (o mais importante de todo a Gala) a ser entregue e o seu vencedor é sempre uma grande surpresa guardada pela SIC e pela Caras, entidades que organizam o evento que se realiza anualmente há 22 anos.

No pequeno discurso de vitória, Fernando Santos (visivelmente emocionado e surpreendido) agradeceu a toda a família, especialmente ao pai, que já não está entre nós, mas “onde quer que esteja, estará a ver-me”.

Disse ainda que não se importaria de estar no mesmo palco em Maio de 2019, fazendo uma alusão clara à esperada conquista do Mundial de Futebol, que decorrerá na Rússia em 2018.



Breve biografia de Fernando Santos

Fernando Santos chegou à Selecção Nacional em 2014. Viviam-se, então, momentos de crise e foram muitos os que duvidaram da sua capacidade de ultrapassar os problemas e criar um grupo coeso.

Mas a sua fé nunca o abandonou. A mesma fé que fez com que acreditasse sempre que a equipa das Quinas tinha capacidade de vencer o Campeonato da Europa de 2016. E assim foi, quando muitos já tinham deitado a toalha ao chão, a equipa foi mostrando o seu valor e venceu a final frente à selecção anfitriã, a França. Por esta razão, Fernando Santos, o homem que fez história no futebol português, foi eleito o Melhor Treinador de 2016 pela organização dos Globos de Ouro.

Nascido a 10 de Outubro de 1954, em Lisboa, Fernando Manuel Fernandes da Costa Santos iniciou-se no futebol como jogador (lateral-esquerdo), tendo passado pelo Benfica, o Marítimo e o Estoril Praia.

Quando decidiu pendurar as chuteiras, em 1975,voltou à sua área de formação, engenharia electrónica e telecomunicações para garantir a estabilidade financeira da sua família.

O regresso aos relvados aconteceu em 1987, quando se estreou como treinador no último clube onde jogou, o Estoril Praia. Liderou a equipa durante sete anos, tendo conseguido duas subidas de divisão, até ao escalão principal do futebol português.

Seguiram-se quatro épocas no Estrela da Amadora e em 1998 passou a treinar o Futebol Clube do Porto. Na primeira temporada na Invicta levou os azuis e brancos à liderança do campeonato e venceu por duas vezes a Taça de Portugal.

2001 foi novamente um ano de mudança. Desta vez, também de país. Fernando Santos foi contratado pelo AEK da Grécia, onde o seu trabalho deu frutos imediatos: no ano seguinte a sua equipa venceu a Taça da Grécia. Nesse mesmo ano, mudou-se para o Panathinaikos.

Regressou a Portugal e teve breves passagens pelo Sporting Clube de Portugal e o Benfica.

Em 2009/10 levou o PAOK ao segundo lugar da liga grega e garantiu a presença da equipa na terceira pré-eliminatória da UEFA Champions League.

A 1 de Julho de 2010 foi apresentado como novo seleccionador da Grécia e ajudou a equipa a apurar-se para o Euro 2012. Repetiu o feito para o Campeonato do Mundo de 2014 e conduziu a equipa aos oitavos-de-final antes de deixar o cargo.

Foi escolhido para o comando técnico da selecção portuguesa em Setembro de 2014, quando Paulo Bento saiu. Graças a seis vitórias seguidas, a equipa apurou-se para o Euro 2016, que se disputou em França, e venceu a competição, sagrando-se Campeã da Europa. A selecção das quinas foi recebida em apoteose no regresso a Portugal e Fernando Santos passou a ser visto como um herói nacional.

Em Dezembro último, Fernando Santos foi eleito Melhor Treinador do Ano pela Federação Internacional de Estatística.