FC Porto empata (0-0) com Nápoles e continua com problemas na frente...

FC Porto empata (0-0) com Nápoles e continua com problemas na frente de ataque

27

O FC Porto empatou (0-0), este Sábado, com os italianos do Nápoles, no jogo de apresentação dos “azuis-e-brancos” aos sócios, adeptos e simpatizantes, disputado no Estádio do Dragão, na cidade invicta.

Antes do desafio, os jogadores foram chamados um a um ao centro do relvado, para enorme alegria dos milhares de adeptos que encheram por completo as bancadas do anfiteatro portista.

Iker Casillas, Maxi Pereira e Dani Osvaldo foram os mais aplaudidos numa apresentação que não contou com a presença de Adrian Lopez, que não faz parte dos planos do técnico Julen Lopetegui.

Sem poder contar com o brasileiro Alex Sandro (em gestão de esforço), o treinador da formação portista apresentou um “onze” inicial com Ally Cissokho na lateral esquerda.

Nas posições restantes não houve novidades, ou seja, Casillas na baliza; defesa com Maxi Pereira, Maicon e Marcano; meio-campo com Herrera, Rúben Neves, Imbula e Brahimi; e ataque com Varela e Aboubakar.

Este deverá ser o “onze” que Lopetegui deverá apresentar frente ao V. Guimarães, no próximo Sábado, em jogo a contar para a 1ª Jornada da Liga NOS; no entanto, convém referir que Brahimi saiu logo aos 17 minutos do confronto de hoje, com queixas musculares.

Durante a primeira metade, o FC Porto foi mais forte que o Nápoles, mas voltou a mostrar pouca acutilância no ataque, o grande “calcanhar de Aquiles” do FC Porto 2015/2016.

Na segunda metade, apesar da inúmeras substituições e da mudança no equipamento (o FC Porto vestiu o seu polémico equipamento castanho), viu-se mais do mesmo, isto é, remates para a bancadas, lances sem conclusão e passes errados.

Dani Osvaldo (como tem escrito na sua camisola) tentou “remar contra a maré”, mas os seus companheiros não conseguiram servi-lo da melhor maneira, apesar de Cristian Tello ter feito muitos cruzamentos para o coração da grande área, onde estava o italo-argentino.

Até ao final, o FC Porto (em ataque continuado) e o Nápoles (em contra-ataque) tentaram “desbloquear” o marcador, mas o 0-0 manteve-se até ao apito final do árbitro Vasco Santos.

A uma semana do início da Liga NOS, o técnico Julen Lopetegui tem uma grande “dor de cabeça” para resolver, pois Jackson Martinez saiu e ainda não há substituto à altura, o que preocupante num candidato ao título nacional.