F1 2017: Resumo da Qualificação da Haas F1 Team no GP de...

F1 2017: Resumo da Qualificação da Haas F1 Team no GP de Espanha

Os pilotos da Haas F1 Team, Kevin Magnussen e Romain Grosjean, qualificaram-se em décimo primeiro e décimo quarto, respectivamente, para o Grande Prémio de Espanha, que se realiza Domingo no Circuit de Barcelona – Catalunya

59

Os pilotos da Haas F1 Team, Kevin Magnussen e Romain Grosjean, qualificaram-se em décimo primeiro e décimo quarto, respectivamente, para o Grande Prémio de Espanha, que se realiza Domingo no Circuit de Barcelona – Catalunya.

Grosjean assinou o sétimo tempo na Q1, com uma volta de 1m21,822s ao circuito de 4,655 quilómetros e dezasseis curvas. Magnussen foi o décimo mais rápido, com uma volta em 1m21,945s. Apenas os quinze mais rápidos passaram à Q2 e marcou a primeira vez esta temporada que os pilotos da Haas F1 Team alcançaram os dois o segundo segmento da qualificação.

Na Q2, Magnussen registou o décimo primeiro tempo, 1m21,329s, perdendo a possibilidade de passar à Q3 por 0,078s. Apenas os dez primeiros da Q2 passam à Q3. Grosjean foi o décimo quarto mais rápido na Q2, 1m21,517s. Uma travagem falhada na última chicane na sua volta lançada final impediu Grosjean de melhorar a sua marca.

Tanto Magnussen como Grosjean rodaram exclusivamente com pneus Pirelli P Zero Amarelo/Macio durante a qualificação.

Lewis Hamilton, da Mercedes, foi o mais rápido em cada um dos segmentos da qualificação do Grande Prémio de Espanha. A sua melhor volta, 1m19,149s, representa um novo recorde para a pista e suplantou o segundo mais rápido, Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari, por 0,051s. O anterior recorde, 1m19,995s, estava na posse de Mark Webber, da Red Bull, desde o Grande Prémio de Espanha de 2010. Hamilton bateu este registo por 0,846s. Esta é a sexagésima quarta pole-position da carreira de Fórmula 1 de Hamilton, é também a sua segunda da temporada e a sua terceira em Barcelona.

Antes, Magnussen, Grosjean e o resto dos seus adversários participarem na qualificação, tomaram ainda parte na terceira sessão de treinos-livres para prepararem os seus carros para realizarem uma volta rápida ao circuito. Cada um dos pilotos da equipa rodou com os três compostos de pneus que a Pirelli disponibiliza este fim-de-semana – Laranja/Duro, Branco/Médio e Amarelo/Macio.

Grosjean terminou no décimo primeiro lugar, 1m22,128s, com o seu tempo registado na décima quinta volta, e Magnussen seguiu-o, no décimo segundo posto, 1m22,214s, com uma marca efectuada na sua décima primeira passagem pela linha de meta. Ambos os pilotos realizaram as suas melhores voltas com pneus macios. Grosjean completou vinte e uma voltas na terceira sessão de treinos-livres e Magnussen doze.

O mais rápido da terceira sessão de treinos-livres foi Kimi Raikkonen, da Scuderia Ferrari, com a marca de 1m20,214s, batendo o segundo mais rápido, o seu colega de equipa, Vettel, por 0,242s. Esteban Ocon, Force India, foi quem mais voltas completou (22).



Comentários

Romain Grosjean (#8)
“Esperava mais que décimo quarto. Sem aquele pião na última volta, talvez conseguisse melhor. Seja como for, o equilíbrio do carro está complicado e o vento torna-o imprevisível. Tivemos algumas dificuldades com isso, portanto, temos algumas coisas em que temos que trabalhar, dado que não estamos a operar como devíamos em algumas áreas. Neste momento, o problema é que se dermos o máximo numa das curvas, na seguinte vamos ter dificuldades. Esse é o meu grande problema, dado que tenho dificuldades em pilotar com estas características. O carro não está a reagir como gostaria e a aderência é muito baixa. Vamos ver como corre a corrida amanhã”.

Kevin Magnussen (#20)
“É sempre frustrante quando falhamos a Q3 por uma margem tão curta. A Q3 não ficou muito longe. Penso que maximizei quase tudo o que tinha para maximizar. Podemos sempre fazer um pouco mais, mas todos podem. Não acredito que esta seja uma boa pista para nós. É bom verificar que as evoluções funcionaram relativamente bem. Não foi negativo. Temos apenas que continuar a melhorar e alcançar a Q3. Amanhã temos que passar um carro para chegar aos pontos. É claro que gostaríamos de marcar mais de um ponto, mas mesmo isso seria satisfatório. Estou a fazer figas para realizar um bom arranque. Vamos esperar que as temperaturas desçam e o vento amaine, o que tornaria as coisas mais fáceis para nós”.

Guenter Steiner (Team Principal)
“Foi um dia interessante e stressante, mas no final penso que podemos sair da qualificação com a cabeça erguida. Qualificámo-nos em décimo primeiro e a passagem para a Q3 foi muito renhida. Tivemos uma boa terceira sessão de treinos-livres. Ambos os pilotos realizaram um bom trabalho. Penso que o Romain foi demasiado longe na sua última volta, mas o segundo pelotão é muito competitivo, e será sempre. Meio décimo de segundo para cima ou para baixo e podemos estar entre o sétimo e o décimo quarto lugares. É muito competitivo. Partimos de décimo primeiro e décimo quarto, boas posições para subir aos pontos na corrida de amanhã”.