Europeu XCO 2017: Nono lugar de David Rosa entre os melhores da...

Europeu XCO 2017: Nono lugar de David Rosa entre os melhores da Europa

O Campeão nacional de cross-country olímpico David Rosa foi nono classificado em Darfo Boario Terme (Itália) no melhor resultado português de sempre num Europeu da especialidade

48

David Rosa - XCOAo serviço da Selecção Nacional David Rosa voltou a estabelecer uma nova ‘referência’ no XCO português, ao alcançar o nono lugar no Campeonato da Europa da especialidade. O campeão nacional elite fez uma prova regularíssima no circuito de Darfo Boario Terme (Itália) para conquistar o melhor resultado nacional de sempre num Europeu XCO na categoria de Elite.

Os azares da Equipa Portugal no Campeonato da Europa de XCO, assinalados com várias equipas e avarias mecânicas, deram, por fim, lugar à satisfação entre a comitiva portuguesa. Com este resultado, o atleta natural de Fátima passará a ser incluído no Projecto Olímpico, permitindo continuar a evoluir o seu nível de XCO.

A corrida de Elites masculinos foi conquistada pelo suíço Florian Vogel, com 10 segundos de avanço sobre o anterior campeão europeu, o francês Julien Absalon. O alemão Manuel Fumic quedou-se na terceira posição. Além de Rosa, que gastou mais 2m04s do que novo campeão europeu, Mário Costa classificou-se na 26ª posição, apesar de ter sido vítima de um furo. De manhã, disputou-se a prova sub-23, tendo João Rocha, único representante da Equipa Portugal, sido 35º classificado no triunfo do italiano Gioele Bertolini.

“O nono lugar do David Rosa foi o ponto alto da nossa participação, o culminar de uma semana de muito trabalho e contrariou algum azar ao longo das corridas. Nos Elites o José Dias foi empurrado para fora de pista por um adversário e, seguidamente, partiu a corrente, sendo forçado a abandonar. O Mário Costa furou à entrada da última volta e também perdeu alguns lugares. O David fez uma corrida muito boa, num circuito exigente, e chegou muito próximo dos adversários acima da tabela. Está de parabéns.

Nos sub-23, o João Rocha, que partiu da última fila e algo limitado pela queda sofrida na Sexta-feira fez uma corrida dentro do que seria expectável e terminou entre os cinco primeiros sub-23 de primeiro ano”, avaliou Pedro Vigário, seleccionador nacional.