ETCC 2016: Fábio Mota atirado para fora do pódio em Magny-Cours

ETCC 2016: Fábio Mota atirado para fora do pódio em Magny-Cours

Depois de ter terminado a primeira corrida no 6º lugar, Fábio Mota foi colocado fora de pista por um adversário quando estava no terceiro posto da segunda.

156

Fábio Mota teve hoje um dia difícil em Magny-Cours, onde este fim-de-semana se disputou a quinta ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo (ETCC); depois de ter terminado a primeira corrida no sexto lugar, foi colocado fora de pista por um adversário quando estava no terceiro posto.

O piloto português aguardava as provas de hoje com expectativa, dado que, muito embora estivesse em inferioridade técnica face aos seus adversários, evidenciou durante o dia de ontem um bom ritmo frente a carros com o pacote aerodinâmico de 2016, ao passo que o seu tem ainda a primeira versão, o que lhe abria a possibilidade de conquistar bons resultados.

No entanto, logo na segunda curva da primeira corrida, um dos seus adversários deu-lhe um toque que o obrigou a recorrer à escapatória de relva, o que ditou uma passagem pelas boxes para limpar a entrada de ar para o radiador, uma vez que as temperaturas do motor estavam altíssimas.

Fábio Mota caiu para o último lugar da classificação, mas conseguiu recuperar até sexto, sendo impossível ir mais além, garantindo o terceiro posto na grelha de partida para a segunda corrida.

Na segunda prova da jornada, o piloto português ascendeu rapidamente ao comando, mas foi obrigado a vergar-se perante a maior eficácia aerodinâmica dos carros de dois dos seus adversários; contudo, vendeu cara cada uma das ultrapassagens, o que o deixou no terceiro lugar.

Apesar de constantemente acossado pelos seus oponentes, o piloto da Lema Racing foi repelindo com autoridade todos os ataques até que, quando se alcançava o meio da corrida, o piloto que o perseguia resolveu dar-lhe um toque por trás na travagem para o Gancho Adelaide.

O carro de Fábio Mota foi enviado contra os muros de protecção, o que atirou Fábio Mota para o abandono e para um desfecho frustrante para um fim-de-semana em que esteve uma vez mais na luta pelos lugares do pódio.

“Foi um dia desapontante! Na primeira corrida toda a minha prova ficou condicionada por um toque logo nos primeiros metros. Caí para último mas consegui recuperar para sexto, o que me dava boas possibilidades para a segunda prova. Nesta, arranquei bem para a liderança, mas na longa recta entre a ‘Estoril’ e a ‘Adelaide’ era muito difícil manter os carros mais recentes atrás de mim e perdi dois lugares.

Penso que estava a defender-me bem e acredito que seria até possível manter o terceiro posto, mas na quinta volta, na travagem para Adelaide, sem qualquer aviso, o piloto que me perseguia deu-me um toque por trás e fui atirado para os muros e para o abandono. É frustrante, porque eu adaptei-me bem ao circuito, a Lema Racing trabalhou muito bem ao longo de todo o fim-de-semana e todos merecíamos um pódio aqui em Magny-Cours”, afirmou Fábio Mota.

Após o desapontamento de hoje, o piloto português está já de olhos postos em Imola, onde se realiza a próxima ronda da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo (WTCC).

“Podíamos ter saído daqui com um bom resultado, mas os erros dos nossos adversários acabaram por ter um impacto directo e determinante no desfecho das nossas corridas. Não há nada que possamos fazer sobre isso e o melhor que temos a fazer é pensar na ronda de Imola, onde se realiza a próxima etapa do ETCC, e trabalharmos para terminar a temporada com os resultados que estão claramente ao nosso alcance”, concluiu com determinação o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Wetor, Glassdrive e NSS.

A próxima ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo disputa-se na pista italiana de Imola entre os dias 30 de Setembro e 2 de Outubro.