Espinho Open 2017: A praia da Baía volta a receber uma competição...

Espinho Open 2017: A praia da Baía volta a receber uma competição da FIVB

A final será transmitida em directo pela televisão pública RTP no Domingo (15h00). Os espectáculos de Voleibol que terão por palco a Praia da Baía também poderão ser seguidos através da Volei TV

101

Espinho Open 2017A cidade de Espinho é, de Sexta-feira a Domingo, a capital do Voleibol de Praia internacional. A praia da Baía volta a receber uma competição de Voleibol de Praia organizada sob a égide da Federação Internacional de Voleibol (FIVB).

O Espinho Open, disputado por duplas de séniores masculinos, é organizado pela Federação Portuguesa de Voleibol (FPV) e pela Câmara Municipal local.

Esta etapa de duas estrelas do Circuito Mundial de Voleibol de Praia poderá significar o regresso das competições internacionais de dimensão mundial às areias das praias de Espinho, uma cidade com pergaminhos e tradição na modalidade, célebre por ser palco de 13 edições consecutivas do Open de Portugal, evento que integrava o Circuito Mundial (FIVB Beach Volley World Tour).

Inscreveram-se para em Espinho 34 países (16 nas duplas do Quadro Principal e 18 nas de Reserva): Austrália, Áustria, Bielorrússia, Brasil, Canadá, República Checa, Dinamarca, Inglaterra, Finlândia, França, Alemanha, Irão, Israel, Itália, Japão, Letónia, México, Holanda, Nova Zelândia, Noruega, Polónia, Portugal, Catar, Rússia, Arábia Saudita, Escócia, Sérvia, Eslovénia, Espanha, Suécia, Suíça, Turquia, Estados Unidos e Venezuela.

A final será transmitida em directo pela televisão pública RTP no Domingo (15h00). Os espectáculos de Voleibol que terão por palco a Praia da Baía também poderão ser seguidos através da Volei TV.

São oito as duplas portuguesas que tentarão mostrar o seu valor perante um público entusiástico mas igualmente conhecedor e exigente como é o de Espinho.

Campeões em 2010, 2011, 2012 e 2014, Roberto e Kibinho recuperaram o ouro em 2016 ao superarem (2-1), na Final, Fabrício Barros e José Pedro Monteiro, que já tinham sido finalistas vencidos em 2015.

Em relação aos favoritos estrangeiros, alguns nomes sobressaem.

Maciej Rudol / Jakub Szalankiewicz (Polónia): Dupla formada este ano, já conseguiu um 3º lugar na China (Xiamen) e um 5º lugar na Rússia (Moscovo), ambos torneios de 3 estrelas, e o 5º posto na Croácia (Porec), de 5 estrelas. Rudol formou dupla com Maciej Kosiak de 2011 a 2016, tendo obtido várias vitórias em torneios satélite, bem como classificações de realce em campeonatos europeus e mundiais de categorias mais jovens.

A Noruega apresenta duas duplas candidatas aos lugares cimeiros do Espinho Open.

Anders Berntsen Mol / Mathias Berntsen: Em 2015, e com apenas 17 / 18 anos, foram 9ºs classificados no Europeu de Sub-22 realizado em Macedo de Cavaleiros, sagrando-se campeões europeus de Sub-20 no Chipre (Larnaka). No ano passado, foram 4ºs classificados no Mundial de Sub-21, na Suíça (Lucern). Formando dupla com Christian Sandlie Sørum, Mol sagrou-se campeão europeu de Sub-20 (Turquia) e de Sub-22 (Grécia) em 2016. Este ano, sagraram-se vice-campeões europeus de Sub-22, em Baden (Áustria).

Christian Sandlie Sørum / Svein Oddmund Solhaug: Sørum foi campeão europeu de Sub-20 (Turquia) e de Sub-22 (Grécia) em 2016, com Anders Berntsen Mol, com quem atingiu o 9º lugar em Gstaad (5 estrelas) no corrente ano.

Lorenz Schümann / Julius Thole (Alemanha): No corrente mês, Schümann venceu, com Alexander Walkenhorst, o torneio satélite disputado em Siófok (Hungria).

Os produtos da escola norte-americana, assim como da brasileira, também são sempre candidatos aos lugares cimeiros.

Trevor Crabb / James Avery Drost: A dupla faz em Espinho a sua estreia a nível internacional. Este ano, Crabb foi 17º classificado em Gstaad (5 estrelas), formando dupla com Sean Rosenthal, enquanto Drost foi 5º classificado em Xiamen (3 estrelas), com Ryan Doherty.

Arnaud Loiseau / Arnaud Gauthier-Rat (França): Loiseau e Gauthier-Rat formam dupla desde 2014, ano em que foram 5ºs classificados no Mundial de Sub-19, disputado no Porto. Em 2017, os gauleses venceram o torneio satélite de Gotemburgo, na Suécia, e foram 4ºs classificados no Campeonato da Europa de Sub-22 (Áustria).