Disputa-se no próximo dia 3 de Maio o 13º Circuito de Palmeira

Disputa-se no próximo dia 3 de Maio o 13º Circuito de Palmeira

24

Disputa-se no próximo dia 3 de Maio o 13º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves, prova para a categoria de júniores que homenageará a velha glória do ciclismo português e vencedor da Volta a Portugal de 1965. A competição, patrocinada pela Junta de Freguesia de Palmeira (Braga), tem início marcado para as 10 horas e é pontuável para o Troféu Revelações de Ciclismo de Estrada – Raiz Carisma.

13º Circuito de PalmeiraOrganizada pela Associação de Ciclismo do Minho (ACM), a prova terá início pelas 10 horas (Palmeira – Braga EN 101) e o final previsto para as 11h30 (Rua de Miracávado, junto à Igreja de Palmeira).

Para a prova bracarense – competição que já foi ganha, entre outros, pelo Campeão do Mundo Rui Costa – está em perspectiva um excelente espectáculo desportivo, com momentos de grande competitividade, aos quais não serão certamente alheias as diversas e habituais metas volantes nas várias freguesias ao longo do percurso.

Como tem sido apanágio das anteriores edições do Circuito de Palmeira, é também esperada a presença de muito público ao longo de todo o percurso e na subida final em direcção à meta que estará instalada junto à Igreja de Palmeira.

A prova será disputada ao longo de 58 quilómetros no seguinte circuito: Palmeira, EN 101, rotunda em frente p/Braga, rotunda Confeiteira, à esq. p/Adaúfe, Adaúfe, Santa Lucrécia, rotunda à esq. p/ Navarra, Navarra, Escola de Navarra, Adaúfe, Palmeira, rotunda à esq. p/Braga EN 101, Palmeira (10h23 – 1ª passagem pela zona de partida), rotunda em frente p/Braga, rotunda Confeiteira, à drt p/ Dume, Dume (igreja), rotunda em frente p/Real, Real, rotunda à drt. p/ Prado EN 201, Merelim S. Pedro, Merelim S. Paio, à direita p/Palmeira, Rua Marginal, rotunda à drt. p/ Braga EN 101, Palmeira (10h45 – 2ª Passagem pela zona de partida). Circuito a percorrer 2 vezes.

Na última volta, em Palmeira, vira à esquerda. O Circuito será percorrido duas vezes e na última volta, em Palmeira, o pelotão seguirá para a Rua Mira Cávado em direcção à meta final instalada junto à Igreja de Palmeira.

Em 2014, o 12º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves foi a primeira prova de ciclismo de estrada a beneficiar da comparticipação do Estado com os custos do policiamento, já que o ciclismo não tinha até então direito aos apoios porque a legislação apenas contemplava os desportos praticados em recintos desportivos, tendo sido publicado em Outubro de 2012, na sequência das diligências da Associação de Ciclismo do Minho, um novo regime de policiamento que passou a incluir as actividades realizadas na via pública. O Secretário de Estado do Desporto e Juventude, Emídio Guerreiro, deu a partida do 12º Circuito de Palmeira / Prémio Peixoto Alves, que foi ganho pelo famalicense João Pereira, tendo Isabel Caetano sido a primeira na classificação feminina.

João Peixoto Alves – Vencedor da Volta a Portugal de 1965

João Peixoto Alves, natural de Palmeira (Braga), nasceu a 23 de Maio de 1941 e iniciou a sua actividade no ciclismo, como popular, no Futebol Clube do Porto. Posteriormente, representou o C. C. Aldoar e o Benfica, onde se tornou conhecido como um dos melhores ciclistas portugueses. A sua carreira como profissional iniciou-se em 1960 e terminou em 1966, quando se retirou, com 25 anos, deixando um lugar difícil de preencher no ciclismo e no Benfica.

Ao longo da carreira desportiva disputou 171 provas, tendo ganho 22. Conquistou os títulos de Campeão Nacional e Regional de Rampa, no último caso por quatro vezes.

Vencedor da Volta a Portugal de 1965, alcançou ainda dois segundos e um terceiro lugares na importante competição. Na prova ‘rainha’ do ciclismo português ganhou ainda 9 etapas, foi portador da camisola amarela em 23 e ganhou o Prémio da Montanha e a Classificação por Pontos no ano de 1963.

Participou na Volta a França do Futuro em 1963 (7º na geral e 2º na Montanha) e em 1964, tendo ainda participado na Volta à Espanha (1962, 1963 e 1965), na Volta a S. Paulo (1962 e 1966), na Volta à Catalunha (1965) e no Campeonato do Mundo (1965 e 1966).