Dia Nacional do Motociclista celebra-se este ano em Torres Vedras

Dia Nacional do Motociclista celebra-se este ano em Torres Vedras

20

Mais uma vez com organização da Federação de Motociclismo de Portugal, celebra-se no próximo Domingo, dia 12 de Abril, o Dia Nacional do Motociclista. A cidade de Torres Vedras irá acolher os milhares de motociclistas que são esperados no evento, que conta com o apoio da Câmara Municipal de Torres Vedras e a colaboração do Moto Clube de Torres Vedras, anfitriões deste dia bem especial para todos os motociclistas portugueses.

Dia Nacional do MotociclistaO programa oficial começa ás 11 horas da manhã com uma recepção dada pelo Moto Clube de Torres Vedras, em local ainda por definir, a todos os presidentes de Moto Clubes e Grupos Motard presentes em Torres Vedras. Como é tradição, seguir-se-á a procissão de andores (entre eles o do padroeiro dos motociclistas lusitanos, São Rafael) e de bandeiras e estandartes de clubes. A procissão tem hora de início marcada para as 14 horas e 30 minutos da Igreja do Convento da Graça, com participação especial e única da ‘Charanga a Cavalo da GNR’.

De seguida será celebrada uma missa no Parque de Exposições de Torres Vedras a partir das 15 horas, com o encerramento da cerimónia a ser marcado como é tradição com a bênção das motos e capacetes de todos os presentes, que à semelhança do que acontece desde a primeira edição serão certamente vários milhares.

O próximo Domingo será então um dia de peregrinação para os motociclistas portugueses e certamente uma jornada para recordar. Será um dia de cerimónias únicas e de cariz bem especial, onde se homenageia a vida e se recordam os amigos que já nos deixaram.

Ao longo do fim-de-semana, e para os que desejem chegar mais cedo a Torres Vedras, o clube anfitrião tem programada alguma animação, bem como serviço de refeições e local coberto para montar tenda e pernoitar.

Desde 1997

A primeira celebração do Dia Nacional do Motociclista aconteceu em 1997 no Mosteiro dos Jerónimos. Sendo Portugal um país com eventos de grande dimensão para os motociclistas, o evento nasceu da necessidade e desejo de muitos para que as reuniões não fossem exclusivamente em ambiente de festa, mas que existisse igualmente um dia de reflexão e interiorização de forma a recordar os companheiros desaparecidos e simultaneamente prestar uma homenagem.

Num pais maioritariamente católico e com a ajuda e espontaneidade do saudoso Padre Zé Fernando foram quebradas barreiras e preconceitos que ajudaram a levar milhares de motociclistas a locais sagrados do catolicismo nacional, como o Santuário de Fátima. Muitos milhares se juntam anualmente desde então para celebrar o seu dia; independentemente do credo de cada um, partilham de forma mais espiritual durante este evento único o ‘espírito do motociclista’, aquele que realmente os une ao longo das suas viagens ou dia a dia.