CNVT/TCR 2017: Sentimentos mistos no balanço final de César Machado em Braga

CNVT/TCR 2017: Sentimentos mistos no balanço final de César Machado em Braga

Um fim-de-semana que podia ter sido memorável mas que se complicou no final. César Machado foi um dos pilotos em destaque no Sábado, mas no dia seguinte a tarefa do piloto complicou-se e os resultados ficaram aquém dos delineados para o Racing Weekend de Braga.

23

César Machado - TCR 2017 - BragaUm fim-de-semana que podia ter sido memorável mas que se complicou no final. César Machado foi um dos pilotos em destaque no Sábado, mas no dia seguinte a tarefa do piloto complicou-se e os resultados ficaram aquém dos delineados para o Racing Weekend de Braga.

O Sábado foi produtivo para o piloto da Speedy Motorsport, que foi o mais rápido nas duas sessões de treinos livres. Esse andamento teve continuidade nos treinos cronometrados, onde conseguiu fazer o 3º melhor tempo em ambas as sessões. A corrida 1 confirmou o ritmo competitivo que tinha mostrado de manhã. Subiu uma posição na largada, foi capaz de manter o 2º posto durante toda a prova e no final regressou aos pódios, algo que repetiria na corrida 2.

O piloto tinha como objectivo vencer e a segunda posição na grelha de partida era a ideal para atacar esse objectivo; no entanto, um arranque menos conseguido atirou-o para o último lugar. O piloto do Seat Leon fez uma recuperação fantástica e subiu até ao 3º posto, naquela que foi provavelmente a melhor exibição da tarde.

No final do dia, César Machado estava contente com os resultados, mas queria mais. Ciente de que tinha capacidade e ritmo para ser dos mais rápidos em pista, o piloto de Vila Nova de Famalicão não baixava o grau de exigência e apontava para as vitórias. Mas o Domingo foi ingrato para César Machado.

Na corrida 3, com um carro muito solto de traseira, não conseguiu reproduzir os tempos por volta do dia anterior, ficando-se pelo 5º lugar final. A equipa tentou resolver o problema mas na última corrida, embora tenha feito um arranque fulgurante e subido até ao 2º lugar, não conseguiu manter a posição. Com os problemas da corrida anterior a repetirem-se, o 5º lugar foi o resultado possível.

César Machado não escondeu a insatisfação no final.

“Foi um dia para esquecer. Ontem estivemos bem e sabia que podíamos ganhar. O carro estava bom e a afinação encontrada permitia-nos estar na frente. Para hoje estávamos à espera de melhorar mas isso não aconteceu. Na corrida 3 o carro estava muito solto de traseira. O arranque foi bom mas não consegui manter-me na frente com o carro assim. Foi muito estranho pois não alterámos nada de um dia para o outro. Falei com a equipa e tentámos encontrar uma solução, mas na corrida 4 os problemas continuaram e não consegui aproveitar o bom arranque que fiz”.

“Não sei explicar o que aconteceu. De um dia para outro o comportamento do carro mudou radicalmente. Tive um adversário que me alertou que estava a perder um fluído qualquer na traseira. Se esse fluído chegou aos pneus traseiros, isso pode explicar a perda repentina de aderência nas curvas, mas é apenas uma suposição e temos de avaliar com calma”.

Tentando avaliar o fim-de-semana, Machado não escondeu a insatisfação por não ter lutado por vitórias mas enalteceu o trabalho da equipa.

“Mostrámos que somos competitivos e que temos armas para lutar por vitórias. Era esse o meu objectivo para este Racing Weekend e no Sábado estivemos perto de o conseguir. Hoje, nas duas últimas provas, o nosso esforço não foi recompensado. Temos de entender o que se passou, mas isso não retira o mérito da equipa, que conseguiu colocar dois carros muito competitivos em pista, como mostram os resultados. Infelizmente hoje não foi o meu dia mas estou confiante que vamos encontrar respostas e lutar pelo primeiro lugar nas próximas corridas”.