CIDESD completa testes físicos ao plantel do CD Tondela na UTAD

CIDESD completa testes físicos ao plantel do CD Tondela na UTAD

Na manhã de 3 de Julho, os 24 jogadores auriverdes realizaram diversos exercícios de composição corporal, força, potência, velocidade e resistência, utilizando balanças de bioimpedância eléctrica, células fotoeléctricas, sensores de movimento e sistemas de GPS

45

CD Tondela - Testes Físicos CIDESD na UTADUma equipa do Centro de Investigação em Desporto, Saúde e Desenvolvimento Humano (CIDESD) aplicou uma série de testes para avaliar a condição física dos jogadores do CD Tondela neste arranque da pré-época.

Na manhã de 3 de Julho, os 24 jogadores auriverdes realizaram diversos exercícios de composição corporal, força, potência, velocidade e resistência, utilizando balanças de bioimpedância eléctrica, células fotoeléctricas, sensores de movimento e sistemas de GPS.

“A equipa do CIDESD tem bastante experiência na aplicação destes testes, utilizando tecnologia de medição muito actual e processa os dados utilizando os métodos de visualização mais apropriados”, explicou o director do CIDESD, Jaime Sampaio.

Essas informações serão, posteriormente, transmitidas à equipa técnica do Tondela, para que as cargas de treino possam ser (re)ajustadas ao perfil de cada jogador.

“É muito positivo termos esses relatórios porque o trabalho de prevenção de lesões é muito importante e, também, para sabermos potenciar ao máximo as características de cada jogador. Todos estes dados facilitam o nosso trabalho”, sublinhou o treinador Pepa.

Cumprida a sessão de testes físicos, o técnico da formação beirã referiu ainda a importância da estreita relação com o CIDESD.

“Não é fácil encontrar este tipo de condições e esta competência. Não basta ter os aparelhos, é preciso saber manuseá-los e perceber das coisas, por isso, só temos de estar agradecidos pela forma como tem sido possível colaborar. Depois, cabe-nos saber interpretar e dar uso ao que de bom aqui foi feito”.

Este é já o segundo ano consecutivo que o Tondela recorre ao CIDESD para preparar mais uma época no escalão maior do futebol nacional.

“A monitorização da condição física dos futebolistas profissionais é um requisito quase imprescindível para auxiliar os treinadores a prescrever cargas de treino e a entender melhor as respostas às tarefas físicas, técnicas e tácticas”, concluiu o director do CIDESD, Jaime Sampaio.





PARTILHAR