CDP reitera críticas de Fernando Gomes ao actual estado do futebol português

CDP reitera críticas de Fernando Gomes ao actual estado do futebol português

Recorde-se que o dirigente federativo, em artigo de opinião publicado nos 3 jornais desportivos portugueses, apelou a uma mudança no futebol português, pois está instalado um clima de ódio entre os adeptos e as críticas às arbitragens são uma constante

17

Confederação do Desporto de PortugalA Confederação do Desporto de Portugal emitiu, esta 6ª Feira, um comunicado onde destaca e reitera as recentes críticas de Fernando Gomes (Presidente da Federação Portuguesa de Futebol).

Recorde-se que o dirigente federativo, em artigo de opinião publicado nos 3 jornais desportivos portugueses, apelou a uma mudança no futebol português, pois está instalado um clima de ódio entre os adeptos e as críticas às arbitragens são uma constante.

A sua nomeação para a Comissão Executiva de FIFA é “uma oportunidade de Portugal participar na definição de políticas e nas decisões das instâncias do futebol internacional”, mas para ser credível tem de ter “uma Liga forte” e a participação ponderada de vários clubes.

Fernando Gomes disse ainda que “o clima que se vive no futebol português é inimigo do crescimento e da afirmação da industria quer no plano nacional, quer no plano internacional, e é também um péssimo exemplo para os mais jovens que se afastam dos estádios; e sem adeptos, ou seja «consumidores», fica comprometida qualquer evolução positiva de uma indústria, de um negócio”

Sobre as constantes críticas às arbitragens, o líder da FPF disse que “a actual situação é grave, inaceitável e imprópria de um país civilizado com espírito desportivo; as ameaças e ofensas a árbitros levam os juízes a ponderar muito cada vez que vão para um campo para dirigir jogos das competições profissionais”.

Por fim, Fernando Gomes apela à “intervenção do Estado, do Governo e da Assembleia da República para combater de forma efectiva as ameaças do futebol português; a FPF está disponível para ser parte da solução e pede ao Estado a revisão das competências do Concelho Nacional do Desporto, um órgão que poderá desempenhar um papel fulcral”.

Ao tomar conhecimento destas declarações, a CDP refere que dá “total apoio ao Dr. Fernando Gomes para terminar com o clima de ódio que vem sendo criado em torno das competições de Futebol”.

A Confederação repudia “as sucessivas intervenções de dirigentes que têm vindo a destruir o relacionamento entre clubes e a fomentar crescente tensão e desrespeito pelas regras da convivência e dos valores desportivos, para além da inaceitável desconfiança na arbitragem”.

A CDP mostra-se disposta a “apoiar e trabalhar nas diferentes iniciativas que as entidades associativas e as entidades públicas entenderem desenvolver no sentido de ser ultrapassada a presente situação”.

No último ponto, a Confederação manifesta “regozijo pela nomeação do Dr. Fernando Gomes para membro da Comissão Executiva da FIFA, o que representa o reconhecimento das capacidades” do actual dirigente federativo.