Caparica Surf Fest 2017: Mundiais de Surf estão de regresso à Costa

Caparica Surf Fest 2017: Mundiais de Surf estão de regresso à Costa

A Caparica estará no roteiro do surf mundial em 2017 (6 a 15 Abril), com 3 provas e 6 grandes competições da WSL, nas praias Paraíso e Dragão Vermelho

3450

A Costa da Caparica estará no roteiro do surf mundial em 2017, entre 6 e 15 de Abril, com três provas e seis grandes competições da World Surf League (WSL) a decorrer nas praias do Paraíso e Dragão Vermelho para o Caparica Primavera Surf Fest. Evento hoje apresentado numa cerimónia na Costa de Caparica e que contou com a presença de atletas, músicos e individualidades, entre as quais sublinha-se o Presidente da Câmara Municipal de Almada, Joaquim Judas.

O Caparica Pro, WQS 1000 (etapa do Circuito Mundial de Qualificação de Surf), o Caparica Longboard Pro e o Caparica Junior Pro trazem cerca de 350 atletas internacionais a Portugal, com cada um destes eventos a apresentar competições masculinas e femininas.

“É o regresso dos Mundiais de surf à Caparica”, congratulou-se Miguel Inácio, responsável pela componente desportiva de um festival que se distingue por apresentar surf de alto nível de dia e a melhor música nacional à noite, com Frankie Chaves, Paus, Diogo Piçarra, Regula, Virgul, entre outros, a garantir a qualidade da animação musical.

Miguel Inácio acrescentou ainda a dimensão e diversidade do calendário desportivo.

“Obviamente, as provas da WSL serão o destaque do cartaz, mas teremos Nacional de Bodyboard, Nacional de Longboard, Regional de Surf, Skate, Bodysurf, entre muitas outras que fazem deste um dos grandes eventos desportivos do ano”.

Uma opinião consubstanciada por Francisco Spínola, representante da WSL em Portugal e o rosto da organização da etapa do World Tour de Peniche.

“Estas provas são muito importantes para os surfistas que estão a tentar amealhar pontos para subir no circuito de qualificação e terem oportunidade de competir em provas com maior cotação e, em última análise, para alguns, atacar a oportunidade de marcarem presença no World Tour, como o fez o Frederico Morais este ano”, explicou Francisco Spínola.

Dois dos atletas presentes na conferência de imprensa e que estão neste lote são o surfista da Caparica Francisco Alves e o carcavelense João Kopke.

Francisco Alves, em particular, olha para o Caparica Pro com foco redobrado, depois de um período de algum afastamento da competição internacional, fruto de algumas lesões que o afectaram o ano passado.

“Este ano vou apostar em força no WQS e esta prova em especial, por se realizar em casa, nas praias em que cresci e aprendi a surfar, tem ainda maior importância. Será a segunda etapa do ano, depois do QS na Martinica e vou com tudo para ganhar, como, aliás, é habitual. Entramos sempre para ganhar”.

Por seu turno, João Kopke terá um papel duplo a desempenhar no Caparica Primavera Surf Fest. O surfista top-16 nacional, que também é músico clássico (contrabaixo) e cantor lírico, além de competir no Caparica Pro, também tem algumas surpresas na manga.

“Estou a preparar, com a organização, algumas brincadeiras paralelas à minha participação desportiva. Este é um ano de transição para mim, em que continuo muito empenhado na competição, como sempre, mas em que também estou a desenvolver alguns projectos que combinam o surf, a música e o ‘storytelling’. Espero ainda ter muito para mostrar num futuro próximo, além do surf”.

Em representação da competição nacional, nomeadamente do Circuito Nacional de Bodyboard — que aqui terá a primeira de quatro etapas —, o cinco vezes campeão europeu e vice-campeão nacional em título, Hugo Pinheiro, também marcou presença e projectou aquele que deverá ser o grande ponto de interesse da competição: a tentativa de reconquista do título nacional na ‘eterna’ rivalidade com o 10 vezes campeão nacional e actual detentor do título, o portuense Manuel Centeno.

“Obviamente, competir na ‘minha’ praia, em frente à minha família e amigos, é sempre uma sensação diferente. Ganhei aqui há dois anos e espero poder repetir a vitória este ano. Depois, o meu objectivo passa pela reconquista do título nacional. Vai ser muito difícil, como sempre, pois sei que me espera mais uma luta com o meu amigo Manuel Centeno. O ano passado liderei a competição desde o início e ele ultrapassou-me na ponta final. Este ano espero que a sorte me sorria a mim”.

O Caparica Primavera Surf Fest apresenta no seu cartaz 9 modalidades desportivas distribuídas por 18 campeonatos e exibições.