Baja Cidade do Desporto: Alexandre Franco com grande recuperação em Loulé

Baja Cidade do Desporto: Alexandre Franco com grande recuperação em Loulé

45

Alexandre e Rui Franco tiveram uma Baja Cidade Europeia do Desporto bem difícil, com um problema no prólogo a fazê-los perder bastantes minutos, vindo a largar do último posto para os sectores selectivos de Domingo. A dupla da Scuderia Goldentrans/DURA começou de forma positiva a prova algarvia, conseguindo o quinto posto na primeira passagem no prólogo, para depois as coisas virarem por completo, com um problema com a bateria do BMW Série 1 Proto a deixá-los parados na especial.

Alexandre Franco - Baja Cidade do Desporto 2015O piloto que conta com os apoios da Goldentrans, DURA Automotive Systems, ENI e PR Car, começou por dizer que este foi mais um fim-de-semana onde a sorte não esteve do seu lado.

As evoluções feitas no carro deixaram-nos optimistas para a prova, mas a impossibilidade de o testar antes da prova acabou por ao mesmo tempo nos deixar algo apreensivos“.

Sobre a prova em si, o piloto de Alenquer dizia que na primeira passagem pelo prólogo as coisas até lhes “saíram relativamente bem“, não fosse uma ligeira saída que os fez perder algum tempo.

Ainda assim éramos então os quintos mais rápidos, mas na segunda passagem as coisas acabaram por não correr bem. Depois de um toque, um problema com a bateria acabou por fazer o BMW Série 1 Proto calar-se. Apesar de ter sido possível recuperar o carro, perdemos mais de vinte cinco minutos e sabíamos que no segundo dia teríamos que partir na cauda do pelotão e apanhar com o pó dos concorrentes que partiam à nossa frente“.

Apesar das dificuldades esperadas, Alexandre Franco comentou que “o dia de Domingo acabou por correr melhor” do que esperavam, apesar das grandes dificuldades no primeiro sector.

No segundo e no terceiro sectores já tivemos que passar menos carros e em jeito de brincadeira até podemos dizer que fomos uns verdadeiros repórteres da corrida, pois apenas não passámos os três primeiros da geral. Desta forma, concluímos com o quarto melhor crono no derradeiro sector e recuperámos quinze posições, vindo a terminar a prova no oitavo lugar da geral. O balanço ainda assim é positivo, pois somámos mais quilómetros com o carro e parece que os problemas das duas provas anteriores estão ultrapassados. Agora há que continuar a trabalhar para estar em bom nível dentro de três semanas em Proença-a-Nova“.