Baja Capital dos Vinhos 2017: Mais de 100 equipas levam festa a...

Baja Capital dos Vinhos 2017: Mais de 100 equipas levam festa a Reguengos

Depois de duas jornadas encharcadas em Góis e no Gavião e sol, calor e pó nas pistas serranas algarvias, será também num tempo quente que se irá disputar a 4ª jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno (CNTT) que terá lugar em Reguengos de Monsaraz

76

Depois de duas jornadas encharcadas em Góis e no Gavião e sol, calor e pó nas pistas serranas algarvias, será também num tempo quente que se irá disputar a quarta jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno (CNTT) que terá lugar em Reguengos de Monsaraz.

Com organização da Secção de Motorismo da Sociedade Artística Reguenguense, a 29ª edição da prova que agora celebra Reguengos de Monsaraz como capital dos Vinhos de Portugal propõe aos concorrentes uma prova de três dias, que arranca com um desfile pela cidade na noite de 6ª Feira. À partida deverão estar mais uma centena de concorrentes, repartidos pelas competições Moto (49), Quad (9) e SSV (52), entre os quais se incluem diversas equipas Hobby que não cumprirão a totalidade do percurso.

Maio, Patrão e Bühler, os três candidatos à vitória

Depois de ter entrado de forma dominadora em Góis, Sebastian Bühler (Yamaha) cometeu um erro na Ferraria e António Maio (Yamaha), apesar de ainda estar lesionado, aproveitou para vencer repetindo o triunfo na prova seguinte. Mário Patrão (KTM) não começou tão forte como em temporadas anteriores, mas em Loulé a luta entre os três pilotos foi fabulosa, com escassos 27s a separá-los no final da corrida.

Outras participações a seguir com atenção são as de Luís Teixeira (Yamaha), na Classe TT3, António Pereira na Classe TT2 e Fernando Ferreira (Yamaha), David Megre (KTM) e Martim Ventura (Yamaha) na Classe TT1, aos quais se junta o piloto da Promoção Daniel Silva (Suzuki), que a jogar em casa pode surpreender.

Arnaldo Martins favorito nos Quad

Com uma lista de participantes reduzida e com três vitórias em outras tantas corridas, Arnaldo Martins (Yamaha) arranca com todo o favoritismo, tendo como principais adversários os regressados Filipe Martins (Kawasaki) e Rodrigo Pagaime (Yamaha).



Nos SSV são mais de uma dezena os candidatos à vitória

Depois de duas vitórias do estreante Can-am Maverick X3, através de Bruno Martins e Pedro Santinho Mendes, e um triunfo convincente do regressado João Lopes (Polaris RZR Turbo), as três primeiras corridas da temporada já deram para entender que em cada prova são quase uma dezena os pilotos que podem aspirar a lutar pela vitória.

Numa prova ganha no ano passado pelo piloto Yamaha Ricardo Carvalho, que tem como companheiro de equipa Roberto Borrego, que também venceu em 2016 mas de Quad, serão ainda, na terra dos vinhos, candidatos à vitória os pilotos Can-Am Bruno Martins, Pedro Santinho Mendes, João Monteiro e Vítor Santos, os pilotos Polaris João Lopes, João Dias e Rui Serpa e com Marco Silva, António Ferreira e Mário Franco da Yamaha a mostrarem-se também muito fortes. Muito próximo deles, mais uma outra dezena de nomes espreita por qualquer escorregadela dos mais cotados e tem condições para ocupar uma posição no top-10.

A força de três Troféus

A temporada de farta participação nos SSV e o seu sucesso tem de ser acima de tudo imputado ao facto de a quase totalidade dos concorrentes participar simultaneamente num dos três troféus ou taça promovidos pelos construtores Polaris, Can-Am e Yamaha. Na competição promovida pela Can-Am, que regista três vencedores diferentes, lidera Bruno Martins, enquanto, tanto na Polaris como na Yamaha, João Dias e Ricardo Carvalho são líderes com duas vitórias.

241 quilómetros cronometrados

Com verificações na 6ª Feira à tarde, a Baja TT Capital dos Vinhos de Portugal começa desportivamente no dia seguinte com uma passagem pelo prólogo, seguida de um troço selectivo de 80 quilómetros. A corrida prossegue no Domingo com mais um sector selectivo.