Baja Aragón 2016: César Sequeira com adaptação condicionada

Baja Aragón 2016: César Sequeira com adaptação condicionada

Mas, de um início de prova atribulado até à vitória nos dois últimos sectores, uma impressionante recuperação resultou num 3º lugar na categoria T2.

121

Os 650 km da Baja Aragón fizeram circundar a cidade de Teruel os melhores do mundo da modalidade, entre eles César Sequeira e Tânia Sequeira.

No primeiro dia de prova a equipa apanhou, ao final de 3 km, o concorrente que partiu à sua frente, mas o imenso pó tornava uma ultrapassagem um risco demasiado grande e César Sequeira optou pelo factor segurança e protelou um ataque no prólogo que até era ao jeito da equipa.

Após esta pequena contingência das corridas, definia-se uma entrada ao ataque para o sector selectivo seguinte, mas a Isuzo D-Max não colaborou, obrigando a equipa a fazer os 162 km em modo ‘passeio’.

Foi preciso usar a meia hora e os 3 técnicos de assistência até ao último segundo para a StyleAuto Motorsport voltar a ‘acordar’ a Isuzo D-Max.

Para que isto acontecesse foi notória a união das equipas portuguesas ‘fora de portas’ com uma equipa da ‘concorrência’, a Prolama, a disponibilizar uma peça, necessária à reparação.

Com uma Isuzo D-Max cooperante e com os pilotos com vontade de mostrar o que valem, partiram para os dois últimos sectores selectivos com a garra que lhes é característica e venceram os dois na sua categoria.

De um início de prova atribulado até à vitória nos dois últimos sectores resultou um 3º lugar na categoria T2 e uma impressionante recuperação que se comentava por entre os espectadores e equipas.

Foi uma estreia para César Sequeira e Tânia Sequeira e, apesar de condicionados, não deixaram os créditos por mãos alheias e mostraram o quão competitivos são.