Taça de Portugal: Sp. Braga vence Sporting por 4-3 num dos melhores...

Taça de Portugal: Sp. Braga vence Sporting por 4-3 num dos melhores jogos do ano

27

O Sp. Braga recebeu e venceu o Sporting por 4-3 (após prolongamento), em jogo a contar para os Oitavos-de-Final da Taça de Portugal, disputado no Estádio Municipal de Braga, na cidade dos arcebispos.

Depois de ter marcado 1 golo nos últimos 3 jogos (curiosamente contra o “lanterna vermelha” da Liga NOS), o Sp. Braga partia para este desafio disposto a mostrar que a sua veia goleadora estava de volta, e que era capaz de ganhar a qualquer adversário.

Já o Sporting, após ver o rival Benfica ficar a 7 pontos de distância no campeonato, queria agora continuar a coleccionar vitórias para agradar aos seus adeptos, que estavam em “estado de graça” depois do apuramento para os 16 Avos-de-Final da Liga Europa.

O jogo prometia golos, e Bryan Ruiz fez questão de não defraudar as expectativas logo aos 10 minutos, com um remate forte e colocado, que não deu nenhuma possibilidade de defesa a Matheus.

Ainda antes do intervalo, Rafa conseguiu isolar Wilson Eduardo (depois de várias tentativas), e o avançado não teve nenhuma dificuldade em bater o guardião Rui Patrício, que tentou uma “mini-mancha”, mas não foi bem sucedido.

Após 45 minutos electrizantes, fez bem um pouco de sossego para jogadores, adeptos e demais envolvidos num jogo de futebol frenético e com muitos lances de perigo.

Na segunda metade, Alan “abriu as hostes” aos 54 minutos, mas 3 minutos depois, o argelino Islam Slimani voltou a colocar tudo na mesma, com um cabeceamento espectacular e cheio de intenção.

Com 2-2 no marcador, o “leão” começou a jogar mais e melhor e mereceu inteiramente o 3º golo, apontado por William Carvalho aos 67 minutos, com um remate em arco e a fugir do guarda-redes, que ainda tentou responder mas não conseguiu.

Até ao final o Sporting controlou todas as situações, menos uma, que ocorreu aos 83 minutos: na ala direita, Alan cruzou para a grande área, a bola sobrevoa toda a pequena área e vai parar aos pés de Rafa, que se afasta da baliza para controlar a bola; assim que tem o esférico à sua mercê, serve Marcelo Goiano, que à entrada da área dispara forte; o guardião Rui Patrício estava no caminho da bola, mas esta bate nas pernas de Paulo Oliveira e desvia a sua trajectória, enganando o guarda-redes leonino, que já não teve tempo de reagir.

No prolongamento, os bracarenses foram mais forte, mas a verdade é que o Sporting se pode queixar da arbitragem, que anulou um golo limpo (marcado por Islam Slimani, que não estava em posição irregular) aos 99 minutos, quando o resultado ainda estava empatado a 3 golos.

Na segunda metade do tempo-extra, os “arsenalistas” foram mais forte e chegaram ao 4º golo (apontado por Rui Fonte, que minutos antes tinha atirado ao poste) com toda a naturalidade e justiça.

Faltavam 10 minutos para acabar a partida, mas o Sporting nunca mais criou perigo, pois o Sp. Braga utilizou a velha táctica do “anti-jogo” (lesões fictícias e demora na cobrança de “bolas paradas”), o que lhe valeu uma “chuva” de cartões amarelos, que poderão prejudicar a equipa nas próximas rondas da competição.

Com esta vitória, o Sp. Braga apura-se para os Quartos-de-Final da competição, onde já estão Rio Ave, Nacional, Arouca, Estoril e Gil Vicente, o único representante da Segunda Liga.