Liga NOS: Marítimo vence V. Guimarães por 4-3 num jogo espectacular e...

Liga NOS: Marítimo vence V. Guimarães por 4-3 num jogo espectacular e polémico

33

O Marítimo venceu o V. Guimarães por 4-3, em encontro a contar para a 13ª Jornada da Liga NOS 2015/2016, disputado este Sábado no Estádio D. Afonso Henriques, na cidade-berço.

Depois de duas vitórias consecutivas e um salto na classificação geral, os vimaranenses queriam continuar na senda das vitórias e o Marítimo (uma equipa irregular fora do seu terreno) aparecia na altura exacta.

No entanto, a formação insular apareceu mais compacta do que costume e os erros de arbitragem também não ajudaram em nada, pois as decisões de Hugo Miguel tornaram o jogo muito violento e cheio de faltas.

Tudo começou aos 12 minutos, quando o resultado estava ainda em 0-0 e o V. Guimarães reclama um golo, que (pensamos) não chegou a existir; no lance corrido, parece que Fransérgio corta a bola para lá da linha de golo, mas nas repetições dadas pela televisão que transmitiu o jogo já não nos parece que a bola tenha ultrapassado por completo a linha de golo.

Mais uma polémica que por certo se evitaria se estivesse em vigor a tecnologia da linha de golo, ou seja, uma máquina que indica com todo o rigor se a bola ultrapassou ou não a linha de golo e mostra uma imagem virtual do lance a todos os espectadores presentes no estádio e em casa, se o jogo for transmitido na televisão.

O árbitro decidiu deixar a jogada correr, apesar dos fortes protestos dos jogadores vimaranenses, que pediam insistentemente para Hugo Miguel consultar o seu auxiliar, que também não deu qualquer indicação com a sua bandeira.

O lance deve ter deixado a equipa vimaranense incomodada e desconcentrada, pois logo a seguir Alex Soares inaugura o marcador, depois de um contra-ataque exímio da formação insular.

Nos minutos seguintes, o Vitória poderia ter empatado, mas só o conseguiu aos 38 minutos, por intermédio de Ricardo Valente, que minutos antes tinha falhado uma excelente oportunidade.

Ainda antes do intervalo, Moussa Marega consegue entrar na grande área contrária e bater o guarda-redes João Miguel, que ainda tentou a todo o custo evitar o golo do avançado francês, nascido no Mali.

Na segunda metade, continuou o “festival de golos”, pois Edgar Costa marcou o 3º golo do Marítimo, aos 47 minutos, e Cafú reduziu aos 51 minutos, deixando o jogo completamente em aberto.

Aos 69 minutos, o árbitro comete o maior erro ao longo dos 90 minutos (já tinha cometido outros de menor importância), ao assinalar uma grande penalidade inexistente a favor do V. Guimarães, já que Salin não toca em Licá no final de uma jogada de ataque da equipa vimaranense.

No entanto, a grande penalidade foi assinalada, Salin foi expulso com cartão vermelho directo (entrou José Sá e o “sacrificado” foi Éber Bessa) e Octávio apontou o golo que na altura colocava o marcador em 3-3.

O V. Guimarães poderia ter aproveitado a vantagem numérica, mas aos 77 minutos, Henrique Dourado também é excluído da partida e deixa as duas equipas em igualdade numérica.

Com os mesmos elementos em campo, o Marítimo voltou a mostrar que era mais forte, e marca o golo da vitória no derradeiro minuto, por intermédio de Fransergio, facto que deixou o técnico Sérgio Conceição visivelmente abatido.

Com esta derrota, o V. Guimarães quebra o seu ciclo positivo e cai para a 10ª posição, com 16 pontos, os mesmos que Arouca e Estoril, que nesta ronda não conseguiram vencer os respectivos desafios.

Já o Marítimo, com o triunfo, passa a somar 17 pontos e salta para o 8º lugar, ficando mais perto das equipas que lutam por um lugar na Liga Europa do próximo ano, ou seja, Sp. Braga, Rio Ave, P. Ferreira e V. Setúbal.